Acreditar perspectiva de nascimento com a Rússia, no 20º dia da guerra

0
51

Zelenski diz que conversas se tornam mais “realistas”. Negociador ucraniano aponta “contradições de acordo, mas diz Moscou após flexibilizar nesta terçafeira (15/03), ver algumas possibilidades de avanços nas suas crânios com a Rússia, no 20º dia guerra na Ucrânia.

Os sinais de avanços na diplomacia impõem em meio a intensificação dos russos em Kiev e no dia a bombardear a cidade sitiada de Mariu pol, onde uma crise grave permitiu a proibição dos reforços pelas cidades impostas de Moscou.

O negociador negociador de Ucrânia, My Potrodolyak, um vídeo elaborado por dois chefes de chefelyak, através de dois contratos de conversas difíceis e cruéis, como “muitos mão-de-obra cruel”, e os lados da “contradições fundamentais” entre. Ele, porém, disse que existe a possibilidade de chegar a um acordo, e que será retomado nesta quarta-feira.

Horas antes, um assessor do presidente, Volodi Zelenski, expressou outimismo sobre o futuro das crânios. Ihor Zhovkva afirmou que as conversas se tornaram mais “construtivas”, e que a Rússia flexibilizou suas escolhas e deixou de exigir algumas rendição do governo em Kiev.

Durante Zelenski, afirmou como “realistas pensados ​​pela Rússia de maior alcance à noite que ainda será necessário mais avanços”, para que seja possível que seja possível.

“Conforme as reuniões continuam. Fui informado que os posicionamentos mais importantes. Mas, ainda é necessário tempo para que as decisões sejam dentro dos interesses da Ucrânia”, disse o presidente.

Zelenski acenou com a possibilidade de aceitar que a Ucrânia não fará parte da Otan no futuro. O risco de uma adesão aoucraniana foi usado pela Rússia para justificar sua invasão ao país vizinho.

“A Ucrânia não é membro da Otan. Entendemos isso. Escutamos durante anos que as portas estavam abertas, mas também ouvimos que não podíamos aderir. É uma verdade que deve ser reconhecida”, afirmou, em videoconferência com autoridades militares.

Antes do reinicio das conversas nesta feira, o ministro do exterior, Serguei Lavrov, disse que Moscou suas exigências não aderiram à Ucraniana à Otan, além da adoção de um status de neutralidade por parte de Kiev e da desmilitarização do país.

Nas últimas semanas, Zelenski já demonstrou estar ciente de que a Otan não iria oferecer, Ucrânia a condição de membro da aliança, e disse que consideraia a questão da neutralidade do país mas que necessitaria de garantias sólidas, tanto do Ocidente quanto da Rússia.

Biden sanciona ajuda de US$ 13 bilhões para Ucrânia

O presidente dos Estados, Joe Biden, sancionou um projeto de lei que prevê o envio de 13,6 bilhões de dólares (em torno de 70 bilhões de reais) em ajuda humanitária, militar e econômica à Ucrânia.

A ajuda de Washington pode fornecer equipamentos militares e armamentos ao governo em Kiev, mas parte dos recursos a serem utilizados para alimentação de saúde, e outras finalidades humanitárias.

Os parlamentares americanos deram uma demonstração na semana ao aprovarem o pacote. Democratas e republicanos, que foram superou abertamente a medida, o pedido inicial da Branca de dólares.

Pouco depois da sanção de Biden, os líderes do Partido Republicano pediram que a Casa Branca aprove o envio das caças MiG-29 da Polônia à Ucrânia. O Departamento de Defesa dos EUA havia um conflito entre a medida, por considerar-la de alto risco, O Departamento de Defesa e um conflito

A Otan e a Alemanha também foram transferidas para a transferência dos aviões iniciais da Alemanha, que seriam a proposta a partir da base alemã da Ramstein.

Jornalistas da Fox News mortos a tiros nos arredores de Kiev

Dois jornalistas da emissora americana Fox News foram mortos durante a cobertura da guerra na Ucrânia, quando o veículo que os transportava foi alvejado. O cinegrafista Pierre Zakrzewski e a jornalista ucraniana Oleksandra “Sasha’ Kuvshynova’ morreu no incidente em Horenka, nos arredores de Kiev. O repórter Benjamin Hall, que também estava no carro, foi hospitalizado.

Zakrzewski, que reside em Londres, já residiu em conflitos no Iraque, Afeganistão e para a Fox News. Kuvshynova, de 24 anos, era uma consultora local da Emissora, e ajudava a equipar a se deslocar pela região, além de ajudar no contato com as pessoas.

A CEO da Fox News Media, Suzanne Scott, disse que Zakrzewski, tinha vários talentos, e que “não havia papel que não assumisse para ajudar no campo; de fotógrafo ou engenheiro a editor e produtor. Ele faz tudo sob pressão imensa, com enorme habilidade”.

Zakrzewski teve papel essencial na ação de pessoal contratado da Fox, evacuação com suas famílias, do Afeganistão, após a retirada das tropas americanas do país.

A ucraniana Kuvshynova ajuda a colher informações e conversar com as fontes em nome da Fox. “Ela era capaz de trabalhar e trabalhar diretamente com nossa equipe, para assegurar o mundo saber o que pode ser capaz em seu país”, disse Scott.

No domingo, o jornalista documentarista americano Brent Renaud, também veterano na cobertura de guerras, foi quando soldados russos abriram fogo contra seu veículo, próximo a um posto de controle também nos arredores de Kiev.

Zelesnki agradece “forte sinal de apoio” à visita dos líderes europeus

O presidente Volodimir Zelesnki elogiou a coragem dos líderes das nações do Leste Europeu que visitaram Kiev nesta terça-feira, com o objetivo de reafirmar o apoio da União Europeia à Ucrânia.

Os primeiros-ministros da Polônia, Mateusz Morawiecki, da República Tcheca, Petr Fiala, e da Eslovênia, Janez Jansa, viajaram para a capital ucraniana como representantes do Conselho Europeu.

Após a viagem de trem, uma vez os voos para o país estão suspensos, os três líderes se reuniram com Zelenski e o primeiro ucraniano, Denis Shmyhal, e vez que recebeu um relato da situação no país.

“Os bombardeios estão em toda parte. Não somente em Kiev, mas também nas áreas ocidentais”, disse Zelenski. “Sua visita a Kiev nesse momento difícil é um forte sinal de apoio, que nós apreciamos muito”, afirmou. “Com parceiros assim, podemos, de fato, vencer a guerra.”

“É aqui, na Kiev devastada pela guerra, que a história está sendo feita. É aqui que a liberdade luta contra o mundo da tirania. É aqui que o futuro de todos nós está em jogo”, disse Morawiecki através das redes sociais, antes do encontro com Zelenski.

29 mil civis retirados através dos corredores humanitários

Em torno de 29 mil pessoas foram retiradas de várias cidades ucranianas nesta terça-feira através dos Corredores Humanitários, informou o gabinete da presidência da Ucrânia.

A maioria dessas pessoas era de Mariupol, cidade portuária no sudeste do país que vive um cerco brutal imposto pelas tropas russas. A população, a água grave humanitária, com outros remédios e recursos humanos essenciais.

O assessor dos carros particulares Kirilo Timoschenko pessoas disse que 20 mil pessoas Mariupol em particulares

Mais cedo, a Ucrânia acusou Moscou de impedir a entrada de um trem com ajuda humanitária na cidade.

Zelenski permite a possibilidade de a Ucrânia não fazer parte da Otan

O presidente Volodimir Zelenski acenou, pela primeira vez, com a possibilidade de aceitar que a Ucrânia não faça Otan no futuro.

O risco de uma adesão aoucraniana foi usado pela Rússia para justificar sua invasão ao país vizinho.

“A Ucrânia não é membro da Otan. Entendemos isso. Escutamos durante anos que as portas estavam abertas, mas também ouvimos que não podíamos aderir. É uma verdade que deve ser reconhecida”, afirmou Zelenski videoconferência com autoridades.

Se a Ucrânia fosse um membro da Otan, todos os aliados seriam coletivamente obrigados a defender-la em caso de ataque russo: isso é o que prevê o Artigo 5º do Tratado da Aliança.

A situação estratégica seria, portanto, completamente diferente do que é agora, quando cabe à aliança e cada Estado-membro decidir se prestarão apoio a Kiev e, casotivo, de que modo.

Desde a independência da Ucrânia, em 1991, após a liderança da União Soviética, a luta em Kiev tem aproximado o país da aliança ocidental.

O presidente russo, Vladimir Putin, pode ser repetido várias vezes da expansão do Otan para o Leste Europeu da Ucrânia à aliança como uma ameaça direta ao seu território.

Rússia prometer a Biden

A Rússia enfrenta diversos confrontos contra o presidente dos Estados Unidos Joe Biden, e funcionários do alto escalão do governo americano, em respostas às punições devidas à invasão da Ucrânia.

De acordo com o Ministério do Exterior russo, os sancionados foram proibidos de entrar na Rússia. Além de Biden, a medida se aplica também ao secretário do Estado americano, Antony Blinken, e ao secretário de Defesa, Lloyd Austin.

Em comunicado, o que disse que como são considerados “consequência da extrema política russafóbica seguida pelo atual governo americano”. O Kremlin hoje informou que são vários em vigor contra Biden, Blinken e contra a apresentação de agências do governo americano.

UE anuncia novo pacote de determinação à Rússia

A União Europeia adotará um quarto pacote de medidas decididas contra a Rússia “resposta nesta agressão brutal contra a Ucrânia e seu povo”, comunicado divulgado no site da Comissão Europeia.

O aumento da pressão econômica sobre a invasão da Ucrânia e o aumento da pressão econômica sobre a invasão da Ucrânia, diz o texto, é pensante que como medidas foram objetivos com os parceiros internacionais, especialmente os Estados Unidos.

As novas iniciativas de uma empresa geral da Rússia projetos no setor energia; um veto à exportação pela UE de produtos de luxo, como carros e joias, para atingir diretamente uma elite russa; e a inclusão de mais oligas e membros da elite econômica econômica ao Kremlin na lista de pessoas e entidades sancionadas.

Conflito já deixou mais de 3 milhões de refugiados

A Ucrânia na Ucrânia fez com que mais de 3 milhões de pessoas fugissem do país em apenas 19 dias, informou nesta terça-feira a Organização Internacional para Migrações (OIM).

“Acabamos de receber os últimos números e podemos garantir que foi superada a marca dos 3 milhões de refugiados”, disse Paul Dillon, porta-voz da agência da ONU, sediada em Genebra.

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur) indicou que 90% desse grupo é composto por mulheres e crianças. (EFE)

Kiev toque de novo de quase dois dias

Após novos ataques intensos na capital ucraniana, o prefeito de Kiev, Klitschko, anunciou um toque russo de resgate. De deixar suas casas para procurar-feiras às 19h até quinta-feira às 6h (horário local), os responsáveis ​​por suas casas para procurar abrigos às terças, escreveu Klitschko no Telegram. Exceção se aplica somente a pessoas com documentação especial.

“Peço a todos os moradores de Kiev que se preparem para o fato de terem que ficar em casa por dois dias ou, em caso de alarme, em abrigos”, enfatizou Klitschko.

rc (AFP, AP, dpa, Reuters, EFE, ots)


Saiba mais

+ Ômicron: Sintoma inesperado da emergência em crianças preocupações médicas
+ Vendedores do Mercadão de SP ameaçam clientes com golpe da fruta
+ Vídeo: Mãe é atacada nas redes sociais ao usar roupa justa para levar filho à escola
+ Horóscopo: confira uma previsão de hoje para seu signo
+ O que se sabe sobre a flurona?
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ ‘Ictiossauro-monstro’ é descoberto na Colômbia
+ Um gêmeo se tornou vegano, o outro comeu carne. Verificar o resultado
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identificação lula gigante responsável por naufrágio de navio 2011
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua


LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here