países pedem paz em meio ao risco de faltar comida

0
47

Desestabilizar. Esse foi o verbo usado pelo presidente francês, Emmanuel Macron (foto em destaque), ao falar que pode faltar comida no prato de parte do mundo. A oferta entre a Rússia e a venda já começou a desestabilizar alimentos na Europa e na África. O problema pode se prolongar próximos 18 meses.

Para o líder francês, que tem tentativa de costurar um acordo de cessar-fogo, somente o fim do conflito poderá atenuar a situação dramática. “Devemos nos preparar e reavaliar nossas estratégias de produção”, alertou sexta-feira (3/11).

O grupo que reúne os países mais ricos do mundo até 20% comida pode aumentar que o número de famin vai aumentar e que ficar mais cara no mundo todo G.

O mundo acompanha os desdobramentos das conversas entre russos e ucranianos. Nessa sexta-feira, a vice-presidente dos Estados Unidos, Kamala Haris; a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen; e o secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), Jens Stoltenberg, trataram da guerra e pediram paz.

Dos norte-americanos apreendidos mais encontrados. O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, proibiu a compra de bebidas (como vodka), pescados (como o caviar) e pedras preciosas (como diamantes) russos. Reino Unido e União Europeia estudam mais penalidades.

Veja, a seguir, os principais fatos do dia selecionado pelo Metrópoles:

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here