Como a regularização das casas de apostas podem gerar mais investimentos no Brasil?

0
258

As casas de apostas já dominam o mercado brasileiro desde 2018, quando a Lei das Apostas Esportivas (Lei 13.756/2018) foi aprovada pelo então presidente, Michel Temer.

Isso, como apostas de cotas fixas, mais conhecido como odds legal no país. Desde então, já são mais de 500 casas de apostas operando no mercado brasileiro.

Esse montante, no entanto, não engloba as casas mais famosas entre os apostadores, como a Betano ea Bet365. Isso porque esses sites estão hospedados no exterior, pois o setor brasileiro de apostas esportivas ainda não está regulamentado.

Sendo assim, grande parte do dinheiro arrecadado por essas empresas não tem retorno para o Brasil, pois por norma, como apostas de arrecadação gerada nos países que estão sediadas.

Até o momento, o país faz uma arrecadação de impostos, que acontece caso o apostador faça o saque do dinheiro no Brasil e declare no imposto de renda.

Se a arrecadação de impostos que pode trazer ser convertida em diferentes setores no Brasil é feita no exterior, como virar o e mais investimentos com as apostas esportivas para o país? A resposta está na regularidade!

Os benefícios da regularização das apostas esportivas no Brasil

Um mercado regulamentado traz mais segurança para os apostadores. Afinal, como operadoras atuarão sobre quaisquer leis brasileiras, o que torna a operação financeira muito mais segura.

“Quando é regulamentado, caso o mercado não tenha problema algum, por exemplo, o pagamento ou a evasão de dados correspondentes aos cadastrados ao site, ele tem como exemplo um acesso à operação mais fácil do mercado brasileiro, pois é como um acesso ao mercado brasileiro, como leis brasileiros são incidentes”, explica o advogado Leonardo Biscaroespecialista em direito desportivo.

Há uma série de deveres que, como apostas, têm de cumprir no país, têm uma existência de sites que não são além disso no mercado.

Contudo, vale destacar 3 benefícios da regularização que detalharemos a seguir.

1. Arrecadação de impostos para repasses aos setores sociais

O governo brasileiro estima que o faturamento do setor de apostas esportivas pode variar de R$ 2 a R$ 8 bilhões por ano. Isso demonstra um potencial de arrecadação R$ 74 bilhões brutos e geração de cerca de R$22,2 bilhões em receitas fiscais por ano.

Tais valores são apenas os impactos diretos das casas de apostas. Ou seja, desconsidere todo o investimento incluído na criação de sedes no país e geração de empregos.

A arrecadação será feita sobre o GGR (Gross Gaming Revenue). Isso significa que será apenas o lucro da casa de apostas, tornando o mercado brasileiro bem mais atrativo para as operadoras.

Na regularização, todo o dinheiro arrecadado com as apostas esportivas online já tem um destino definido:

  • 99% para cobertura das despesas de manutenção dos operadores;
  • 0,1% para o Seguro Social;
  • 0,1% para entidades educativas;
  • 0,1% para o Fundo Nacional de Segurança Pública (FNSP);
  • 0,7% para entidades esportivas do futebol.

Também é preciso que, inicialmente, apenas 30 casas de apostas firmas para operar. Para isso, deve pagar uma taxa única de R$ 3 milhões que permite sua atuação no mercado por 9 anos.

Por fim, fazer entregas e empresas de R$ 20 mil, de acordo com R$ 20 mil (ambas) de R$ 20 mil (ambas)

Essas medidas são reflexo do esforço do governo brasileiro de seguir as regulamentações de mercados de sucesso, como o Reino Unido e Itália.

Segundo Udo Seckelmann, advogado desportivo, o mercado do Reino Unido é quase uma unanimidade na indústria de iGaming. Isso porque eles cobram uma alíquota baixa de impostos das casas de apostas e não taxam os apostadores. Há ainda uma entidade reguladora para fiscalizar as operações.

“São todos esses fatores que fazem o Reino Unido um mercado muito bem regulado, seguro e lucrativo”, frisa o advogado.

2. Geração de empregos e renda

Segundo dados levantados pelo governo, estima-se a geração de 600 mil novos postos de trabalho no país após a regularização.

Os setores que serão mais impactados serão:

  • tecnologia e informação
  • marketing e publicidade
  • eventos esportivos
  • ciência de dados

É importante mencionar que, assim como a cadeia de indústria automotiva, o setor de iGaming tem potencial para gerar empregos de maneira indireta. Isso inclui muitas funções que ficam nos bastidores das operações de apostas esportivas, como o setor de atendimento ao cliente.

Com o aumento da oferta de empregos, consequentemente, teremos um geração de renda para a população.

Interessante ainda mencionado como outras casas de apostas, que ajudam o Brasil a aumentar e outros modelos de concorrência para o mercado, exemplos de soluções de impacto online e esfera de outros negócios.

Estímulo ao esporte nacional

Como apostas de sabem do potencial do mercado brasileiro e, desde 2018, já investem em criar um relacionamento próximo e confiável com os apostadores.

Uma maneira inteligente de criar essa conexão foi por meio do patrocínio de eventos esportivos e clubes de futebolmodalidade mais popular no país.

Segundo o advogado desportivo, Udo Seckelmann, como principais operadoras querem se regulamentar no Brasil. “Muitos deles querem já começar a explorar o mercado do Brasil para criar uma relação de confiança com o apostador brasileiro e, quando sair a regularidade, elas estão preparadas para conseguir uma licença”, afirma.

Dessa forma, em menos de 3 anos, o setor de apostas esportivas se tornou um dos maiores investidores de equipes de futebol no país. Dos 40 clubes do Campeonato Brasileiro (Série A e B), 35 contam com patrocínio de casas de apostas.

A exposição da marca vai além do uniforme. Há publicidade em horário nobre, em jogos importantes e em redes sociais. Um exemplo é a Betanopatrocinadora máster do Atlético-MG e do Fluminense.

Para a equipe mineira, por exemplo, uma Betano criou NFTs em a conquista do bicampeonato brasileiro.

Já a casa de apostas 1XBet comprou o naming rights do Campeonato Cearense de 2022 e fechou contrato exclusivo de patrocínio de apostas com o Campeonato Paulista para a temporada de 2022. Além disso, a 1xBet patrocina times de eSports brasileiros, como o MIBR.

Todo investimento, claro, reflete no desempenho das equipes. Afinal, quanto maior a receita com patrocínio, maior a possibilidade de contratar bons profissionais para disputar títulos relevantes.

A longo prazo, com o mercado se fortalecendo e ficando mais concorrido, certamente contribuirá para o crescimento de patrocínios em outras modalidades também populares entre os brasileiros, como Basquete, Vôlei e MMA.

A regularização das apostas esportivas deve ser aprovada até o prazo final de 22, máximo estipulado pelo governo para formalizar o setor.

Se bem citados são mencionados e com uma entidade reguladora, a tendência é que são citados benefícios ampliados. Ganha a economia, o esporte e a população.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here