Arqueólogo amador pode ter encontrado a cidade submersa mais antiga do mundo

0
66

Um arqueólogo amador foi notado americana ao afirmar ter descoberto pela imprensa ruínas de uma civilização antiga na costa de St. Bernard Parish, estado da Louisiana.

De acordo com George Gelé, antes da descoberta, ele visitou o local por mais de 40 vezes. Somente após isso não ou a presença de enormes montes de granito subaquáticos na região das Ilhas Chandeleur, que podem pertencer a uma cidade perdida há 12 mil anos.

Em entrevista para o canal WWLTV, o arqueólogo amador disse que a cidade, muito provavelmente, era cercada por terra seca antes de desaparecer, o que aconteceu devido ao aumento do nível do mar ao final da última era do gelo.

Gelé afirma que o espaço, atualmente embaixo da água, foi casa de civilizações mais antigas que os maias, incas e astecas. “O que há lá embaixo são de edificações cobertas de grandes e que geograficamente relacionadas à Gé.”

No local, também foram achadas misteriosas massas de granito, porque, de acordo com o arqueólogo, o material não é nativo de Louisiana ou de Mississipi, outro estado próximo à região. Por isso, ele acredita que a rocha foi trazida de um local distante da ilha.

“Alguém jogou um bilhão de pedras no rio Mississippi e as reuniu do lado de fora do que mais tarde seia Nova Orleans.”

Expedições

Foto: Divulgação/Arquivo Pessoal

Durante os quase 50 anos de busca por vestígios dessa civilização antiga, George disse ter realizado diversas expedições junto ao pescador Ricky Robin. De acordo com os relatos do arqueólogo, a bússola do seu barco girou quando ele chegou perto do local onde ficaria a ponta de uma espécie de pirâmide.

Por meio das imagens subquáticas captadas por um sonar, a dupla relata ter registrado restos de grandes construções e de uma espécie de pirâmide. “É algo que produz uma energia eletromagnética incrível”, conta Gelé. “Aparentemente, tinha 85 metros de altura.”

O pescador vários outros de profissionais capturados que vários companheiros de suas redes foram capturados em seus companheiros de redes quando eles foram capturados.

“Pensei exatamente que eram pedaços da pirâmide porque era exatamente onde ala girava.”

com os relatos, a precisa ser precisa ser por especialistas que podem verificar ainda cientificamente se realmente é uma cidade submersa. Gelé, no entanto, relata ter certeza do que descobriu.

“Muitos destroços não são de lastros. Trata-se de arquitetura, superfícies externas, calhas de chuva e muito mais. Quem poderia ter construído uma estrutura de granito sólido aproximadamente de tamanho de grandes monumentos romanos nestas águas, agora cobertas de lodo? Se eles tinham ou não alguém em seu ombro que voou com um OVNI, eu não sei. Tudo o que sei é que eles simplesmente um monte de rochas de granito lá fora”, acrescentou.

A cidade submersa mais antiga do mundo

Foto: Divulgação

Pavlopetri é uma pequena vila na região do Peloponeso, no sul da Grécia. No local, uma antiga cidade de 5.000 anos reside a cerca de quatro metros debaixo de água. A estimativa é que ela seja a mais antiga cidade submersa conhecida do mundo.

A cidade é bem vistas, templo casas com uma praça central, dois andares com jardins, um cemitério sistema de gestão de água, com canais e canos de água. O design é semelhante ao de muitas cidades modernas.

O local é tão antigo no período que o poema famoso “Ilíada” foi tão antigo que existe em grego. De acordo com pesquisas, ele foi habitado em IV aC Os cientistas acreditam que a cidade aC volta de 1000 aC, por causa de terremotos que modificaram a localização.

Os historiadores estimam que a cidade antiga era um centro minóico e micêneo para o comércio. Em todo o local, existem grandes recipientes de armazenamento feitos de argila, estátuas, ferramentas de uso diário e outros agrotóxicos.

Fonte: Aventuras na História, Socientifica

Esse conteúdo Arqueólogo amador pode ter encontrado a cidade submersa mais antiga do mundo foi criado pelo site Fatos Desconhecidos.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here