Servidores do Banco Central fazem nova paralisação e reforçam ameaça de greve por reajuste salarial

0
31

O Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central (Sinal) informou que a paralisação desta quinta-feira (10) teve adesão de 60% dos servidores da autoridade monetária. O ato foi classificado como um grande sucesso.

O Sindicato da Cobra do Presidente do BC, Roberto Campos Net, reforça uma ameaça para uma eventual assembleia prevista para ocorrer na próxima quarta-feira (16).

Leia também:
“Quem nós podemos salvar na frente, a gente salva”, diz Bolsonaro
Bolsonaro sobre reajuste a policiais: “Houve uma grita geral”

De acordo com o acordo, houve cancelamento de reuniões com integrantes do sistema, liberação do movimento financeiro com o atendimento para chaves no PIX, atraso no de demandas referentes ao PIX e distribuição na distribuição de células no Rio de Janeiro.

O Sinal também informou que a reunião com o presidente do BC, Roberto Campos Neto, previsto para esta semana, foi demarcada “sem motivos”.

“Esperamos urgentemente de um governo do governo pelo menos, o reajustar um posicionamento concreto dado ao governo pelo menos o reajuste um posicionamento concreto dado ao governo pelo menos o que vai ser ajustado aos regulamentos do governo pelo menos o que vai ser feito para os regulamentos do governo”, escreveu o sindicato em nota enviada à autoridade governamental. imprensa.

Se isso não ocorrer, a entidade vai contestar o sindicato, a entidade vai contestar uma proposta de “greve imediata por tempo indeterminado, com a entrega das comissões eçou as mesmas na mesma”.

Cadastro-se na Impulso e receba semanalmente um resumo das notícias que mexem com o seu bolso — de um jeito fácil de entender:

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here