ANP: Ainda sem impacto do reajuste da Petrobras, têm alta nesta semana

Mesmo ainda sem o reflexo do reajuste da Petrobras, o preço médio da gasolina no Brasil aumentou R$ 0,11 nesta semana. O combustível já encontrado com preço médio de R$ 6,68/litro nos postos, segundo o levantamento da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), divulgado nesta sexta-feira (11).

É a segunda semana consecutiva de alta do combustível, que foi encontrada a R$ 6,57 no boletim anterior.

O estado com o preço médio da gasolina mais elevado é a Bahia, com o litro a R$ 7,69. Já o Amapá registrou o valor mais barato, com uma média de R$ 5,81.

O diesel, que acumula alta pela terceira semana consecutiva, foi selecionado a R$ 5,81 por litro, um aumento de R$ 0,21 na comparação com o levantamento anterior. O preço máximo do combustível foi encontrado na cidade de Ilhéus, na Bahia, a R$ 7,56.

O estado também registra o maior valor médio do país, com o litro do óleo custando R$ 6,98.

O Gás Natural Veicular (GNV) se manteve estável, com o metro cúbico a R$ 4,68, mesmo preço encontrado na semana anterior. Já o gás liquefeito de petróleo (GLP), conhecido como gás de cozinha, registrado na queda de R$ 0,2 de uma semana para outra, passando de R$ 102,64, para R$ 102,42 nesta semana.

O etanol, que acumulou uma queda de 8,1% nas últimas seis semanas, registrou um aumento. O combustível derivado da cana-de-açúcar e do milho, foi encontrado com preço médio de R$ 4,64, frente aos R$ 4,61 da semana passada.

Nesta quinta-feira (10), a Petrobras anunciou o aumento de R$ 0,44 no litro da gasolina e de R$ 0,81 no diesel para distribuidoras. Em relação ao gás de cozinha, o preço médio de venda da Petrobras, para as distribuidoras, passará de R$ 3,86 para R$ 4,48 por kg, equivalente a R$ 58,21 por 13kg, refletindo reajuste médio de R $ 0,62 por kg. Segundo a estatal, a medida foi tomada para equilibrar os preços com o mercado internacional e evitar o desabastecimento.

Vários postos já fizeram reajustes nesta sexta-feira (11), no dia em que uma alta passou a valer para distribuidoras que comprou da Petrobras. No Rio de Janeiro, por exemplo, a gasolina comum chegou a ser vendida a R$ 8,30, enquanto os encontraram a mais aditivada de R$ 10 em um estabelecimento.

UMA CNN buscou a Federação Nacional do Comércio de Combustíveis e Lubrificantes para entender como é feito o reajuste dos preços, mas ainda aguardava um posicionamento.


Publicado

em

por

Tags:

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *