Servidores do BC confirmam paralisação parcial para esta quinta-feira (10)

0
46

Servidores do Banco Central realizam paralisação parcial nesta quinta-feira (10), das 14h às 18h. O protesto da categoria, que demanda reajuste salarial e carreira de carreirafoi confirmado pelo presidente do Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central (Sinal), Fábio Faiad.

Em nota, o sindicato afirmou que, caso não seja feita uma proposta concreta de reajuste salarial, a possibilidade de greve por tempo indeterminado poderá ser apreciada imediatamente já na próxima semana.

Faiad também disse que o encontro entre representantes dos servidores e o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, que acontecerá no final desta semana, foi desmarcado pela BC.

A quebra do compromisso motivou os servidores a enviar carta ao presidente do Banco, nesta quarta-feira (9), ressaltando a “defasagem salarial [dos servidores]em função das perdas inflacionárias acumuladas”.

“Não há como aumentar para os servidores de concessão uma explicação de apenas algumas carreiras, como quais, inclusive, diferenciadas, na última já tratadas como reforma da forma. No entanto, a melhor das carreiras do BCB patamar em estágio de transição para BCB a outras carreiras, aumentando a rotatividade e prazo B a seguir em outras carreiras do BCB para o prazo de transição para o BCB a estabilidade do caminho da passagem em prazo BCB inferior a outras carreiras do BCB passagem em prazo BCB, veio a seguiria.

Os funcionários do Banco Central também destacaram os quase 10 anos a realização de concursos públicos, com “sucessivas do Ministério da Economia”. “Alertamos que, com o grande número de pessoas que podem se aposentar nos próximos anos, corremos o risco de ter conhecimento organizacional relevante sem a necessária transferência de expertise geracional e preparação de novos quadros e, mesmo, risco de sofrermos um resgate no cumprimento de algumas das atribuições”, afirmou o presidente do Sinal.

Esta será a quarta paralisação parcial da categoria em 2022. O movimento teve como estopim a indicação da parte do governo federal de aumento para a segurança, com recursos previstos no Orçamento de 2022.

*Estagiário sob supervisão de Rodrigo Vasconcelos

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here