Playstation teria rotina com práticas sexistas, apontando ex-funcionárias | Jogos

0
44

UMA Sony Playstation foi novamente acusada de possuir um ambiente tóxico de trabalho para mulheres. A história foi divulgada na quarta-feira (9) pelo portal Axios, que traz os relatos de mais oito mulheres a respeito de suas experiências de trabalho na empresa. As declarações se juntaram ao processo em novembro de 2021 Emma Majo, uma ex-analista de segurança da empresa.

Entre os divulgados estão comentários sobre discriminação de gênero e suposta discriminação com mulheres grávidas. Também foi informado que a situação chegou a levar 11 mulheres a se demitir de um único escritório durante um período de quatro meses. O TechTudo entrou em contato com a assessoria da PlayStation para pedir um posicionamento, mas ainda não obteve resposta.

Sony PlayStation teria rotina com ambiente tóxico para mulheres em seus escritórios; entender — Foto: Victor Teixeira/TechTudo

Emma Ma moveu-se a justiça em novembro de 2021 falando a respeito das diferenças salariais entre homens e mulheres, rescisões injustas e outros casos de discriminação de gênero. A empresa ex-vem-analista de outras mulheres de segurança duvidosa que tenham semelhanças como oito mulheres não duvidosas, e também uma denúncia que incluiu isso. Vale lembrar que a Filhoy descartar o caso em 2021, alegando falta de detalhes que serviriam como provas.

Outro nome que vem relacionando outros casos a respeito da Sony Ela respondeu que a empresa em horário de almoço2ra no local de trabalho funcionou como mulheres, realizavam com os homens 1 ex-direção da ex-diretora de trabalho, que foi realizada com “nojentas” sobre mulheres, visitavam grupos de tira no horário de almoço20 no local de trabalho. e compartilhavam pornografia entre eles.

Harrington ainda lembrou do caso de um engenheiro que pediu para ela não usar no trabalho, pois, segundo ele, aquilo o distraía. Em amamentação dos relatos, a ex-diretora também que, ao pedir um quarto separado para um recém-nascidos filhos, foi direcionada a uma despensa com a quebrada. Sem as condições definidas em termos de previsão, de crianças antes da situação.

UMA assimNova Iorque Playstation não é a primeira empresa do ramo dos jogos eletrônicos a ser processada por conta de um ambiente tóxico de trabalho para as mulheres. Em 2021, uma Blizzard foi processada por assédio sexual e casos de discriminação de gênero dentro da empresa. A situação gerou uma enorme controvérsia e também a ocasião de missões. Por conta disso, até mesmo um personagem de Overwatch precisou ter seu nome modificado.

Com informações de PolígonoKotaku (1 e 2) e Axios

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here