Pessoal que deu golpe de R$13 milhões tem passagem por Maria da Penha

Kayo Rhuan Paulista Alves (foto em destaque), 35 anos, é o personal trainer que aplicou um golpe de R$ 13 milhões no Distrito Federal. Antes de ser alvo da Operação Falsarius (falsário em latim), deflagrada nesta terça-feira (8/rada3), o suspeito teve outras passagens pela polícia como por agressão verbal à ex-mulher e injúria.

A ocorrência de agressão foi registrada pela ex-mulher e mãe do Kayo e classificada como perturbação da tranquilidade, injúria e Lei Maria da Penha. No depoimento, a mulher chegou a dizer que o pessoal “sempre apresentou perfil e que o mesmo fica mais agressivo quando é contrariado de suas vontades.” O caso foi registrado na Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher I (Deam I), em 2019, seis meses após a separação do casal que ficou junto por quatro anos.

A ex-mulher de Kayo disse que ele agrediu verbalmente, por mensagens e áudios. Segundo ela, ele dizia: “Você não presta e comigo o buraco é mais embaixo; você sabe com quem está fazendo, vagabunda”. Por isso, ela pediu medida protetiva de urgência. época, Kayo já está como na personal trainer.

Após dar golpe de R$ 13 milhões, pessoal manteve vida dupla no DF

Golpes

Com identidades, o Personal Trainer em Dois dias úteis, como Personal Trainer em Noroeste e Dirigia Um Carro Popular. Aos fins de semana, porém, ostentava veículos importados e esportivos, de origem inglesa e alemã.

Segundo a Polícia Civil do DF (PCDF), o investigado utilizou um documento falso e abriu uma empresa de comercialização de grãos na região rural. Entre 2012 e 015, ele teria 2 crimes diversos contra a ordem tributária, inclusive relacionados à sonegação de impostos. Quando enviado a ser cobrado judicialmente, o suspeito não foi localizado e deixou o rombo milionário para os cofres públicos, motivo pelo qual foi expedido o primeiro mandado de prisão preventiva.

0

Durante a investigação, foram identificadas outras identidades registradas ou identificadas pelo homem. Foi aí que os investigadores contataram que o golpista mantinham uma vida dupla. Após informações colhidas pelos policiais, foi expedido outro mandado de prisão preventiva, para o segundo nome utilizado pelo alvo. Os investigadores também cumprem o mandado de busca e apreensão na casa dele, no Lago Norte, onde apreenderam documentos.

Quer ficar ligado em tudo o que rola no quadradinho? Siga o perfil do Metrópoles DF não Instagram.


Publicado

em

por

Tags:

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *