Robô Spider vai consertar satélites em missão na missão OSAM-1 da Nasa

UMA Nasa anunciou que sua missão OSAM-1 (On-orbit Servicing, Assembly, and Manufacturing, ou Missão 1 de Manutenção, Montagem e Manufatura em Órbita) passou pela fase de revisão crítica de projeto. Essa missão será a primeira a reabastecer com um robô um satélite que não foi projetado para passar pela manutenção.

Hoje, essa ideia era algo que parecia ficção científica, mas o robô (Space Infrastructure Dexter Robot) da Max Technologies é bem real. Com ele, a Nasa espera provar um conceito, e como diz o lançamento do OSAM-1a quebrar esse paradigma com seu payload.

publicidade

O projeto para reabastecer e fazer reparos em satélites em órbita recebendo investimentos da Nasa desde 2015, através do programa Ponto de inflexão.

Robô Spider tem dois braços robóticos para reabastecimento e reparos

O payload de reparo tem 16 subsistemas como ferramentas, sistemas de visão e dois braços robóticos. A nave que vai levar a missão OSAM-1 tem 4,2 metros de altura, e está pronto Esperando sua carga útil desde maio de 21. Essa importante etapa 2 tecnologias foi pela agência depois e pela Maxar menos um ano disso.

Nessa etapa de avaliação, os engenheiros da Nasa confirmaram que o design do OSAM-1 está pronto, e atende aos requisitos especificados. A próxima etapa é a fabricação, montagem e integração desta nave-robô.

No vídeo acima, você pode ver uma simulação do robô Spider consertando um satélite em órbita. Na imagem que ilustra esse post, vemos uma ilustração do OSAM-1 reabastecendo o Landsat 7, lançado em 1999. Ele foi o escolhido para o primeiro teste da missão, quando lançado, o que deve acontecer até 2025.

O início da missão OSAM-1 reparos e manutenção de satélites já lançados, mas a longo prazo, passará a ser construir e montar equipamentos em objetivo. É não impossível pensar nas estações de construção e reparo de Star Trek.

Leia também:

Fonte: Ars Technica

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? inscreva-se no nosso canal!


Publicado

em

por

Tags:

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *