Podemos abre procedimento disciplinar contra deputado Arthur do Val – Money Times

0
36

As declarações divulgadas ontem (4), foram enviadas por ele em um grupo de WhatsApp e logo vazaram para a imprensa. (Reprodução/Alesp)

O Podemospartido do deputado estadual Arthur do Val (SP), decidiu abrir procedimento disciplinar interno contra ele por declarações sexistas sobre as mulheres ucranianasrefugiadas da guerra.

As declarações divulgadas ontem (4), foram enviadas por ele em um grupo de WhatsApp e logo vazaram para a imprensa.

O partidogravável considerado como falas do deputados e inaceitável.

“As declarações inaceitáveis ​​são as declarações do deputado estadual Arthur do Val, que foram divulgadas na imprensa. Não se resume ao país, seja completo desrespeito à mulher, seja guerra ucraniana ou de qualquer outro, de violações profundas relacionadas a questões humanas, em um momento em que povo enfrenta os horrores da mulher”, afirmou o partido, em nota.

“O repudia com veemência como declarações podemos e, com base nela, de imediato um procedimento disciplinar interno para apuração dos fatos. Até este momento o partido não havia o contato com o deputado, que estava em voo”, finalizou Podemos.

Declarações

Arthur do Val, que é pré-candidato ao governo de São Paulofoi possível instalar o conflito à Ucrânia em meio ao país no país e a criar uma foto para combater as redes sociais molotov para combater os russos.

Ao deixar o país, na fronteira com a Eslováquia, o deputado invejoso um áudio a amigos, elogiando a beleza das refugiadas.

Em seguida, afirmou que pretende voltar ao Leste Europeu e disse que as mulheres são “fáceis” por serem pobres.

“Assim que essa guerra passar eu vou voltar pra cá. E detalhe, elas olham. E são fáceis, porque elas são pobres. E aqui minha carta do Instagram, cheio de inscritos, funciona demais. Não peguei ninguém, a gente não tinha tempo, mas colei em dois grupos de minas e é inacreditável a facilidade”.

Ele a melhor época dos refugiados da Ucrânia, como melhor em termos de aparência balada do Brasil.

Além disso, disse que a recepcionista do hotel onde ficou hospedado teria “dado em cima” dele. “Meu Deus, não é possível que isso está viável”, afirmou em seguida, em tom de medida.

Reações no Brasil

As declarações do deputado no Brasil causaram a indignação pública. Pelo Twitter, a ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alvesclassificou o deputado como “nojento, baixo, sujo” e pediu a cassação do seu mandatório.

A Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) afirmou, em nota, que o episódio será tratado “com rigor e seriedade pelas esferas de investigação do Parlamento”.

“A Al se solidariza com as mulheres, em especial como ucranianas, e reforça em defesa e proteção de todas as suas lutas, em lutas por ações históricas, efetivas e leis em vigor”, finalizou nota.

A rejeição ao deputado foi tamanha que motivou uma nota de repúdio do senador Marcos do Val (Podemos-ES). Na nota, além de condenar as declarações, ele condena o seu não parentes com Arthur.

“Aproveito para reforçar a todos que, eu e o deputado, Arthur do Val, nem de longe, temos qualquer parentesco. Apenas a coincidência do mesmo sobrenome”.

“Momento de empolgação”

Ao desembarcar em São Paulo, na manhã de hoje (5), Arthur do Val, foi questionado pela imprensa sobre suas declarações. Ele afirmou ter garantia “um erro em um momento de empolgação”.

“Não é isso que eu penso. O que eu falei um erro em um momento de empolgação. A impressão que está passando aqui é que eu cheguei lá, tinha um monte de gente, e eu falei ‘quem quer vir comigo que eu vou alguma coisa’. Não é isso. Eu fui pra fazer uma coisa, mandei um áudio infeliz e impressão que aconteceu é que fui fazer outra coisa”.

Ele afirmou que a “missão” que motivou sua viagem foi em um contexto e o áudio que inveja a amigos, assim que saiu da Ucrânia, era em um contexto diferente.

“Não foi a melhor das posturas, mas é um áudio privado”, acrescentou.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here