o que fizeram municípios sem óbitos registrados

0
53

[ad_1]

Dois anos após o primeiro caso de Covid-19 confirmado no Brasil, apenas seis dos 5.570 municípios brasileiros não registraram mortes em consequência da doença. Os dados são da plataforma criada pelo pesquisador Wesley Cota, da Universidade Federal de Viçosa, que toma como base dados das secretarias estaduais de saúde.

A pesquisa mineira elencou 15 municípios – a reportagem do Metrópoles descartou nove, que já tiveram óbitos confirmados pela prefeitura local, e confirmou cinco cidades sem óbitos: Pedro Teixeira (MG), Santana dos Montes (MG), Novo Tiradentes (RS), Taipas do Tocantins (TO) e Flor do Sertão (SC). Ainda consta na lista, mas sem confirmação, Crixás do Tocantins (TO).

O que a maioria dessas cidades têm em comum é a pequena população: Santana dos Montes, por exemplo, tem 3,8 mil habitantes, enquanto Flor do Sertão conta com 1,9 mil pessoas e Pedro Teixeira tem 1,8 mil moradores. Para evitar que o coronavírus se espalhasse nos pequenos municípios, as secretarias locais decidiram fazer uma campanha ostensiva apoiada na informação.

“Nós apostamos na comunicação. Lá no início, quando vimos que era mesmo uma pandemia, começamos a orientar as pessoas pelas redes sociais, distribuímos panfletos nas escolas, fizemos vídeo no YouTube, postagens no Instagram e Facebook. Onde a gente pudesse, divulgava. Foi um trabalho de equipe muito intenso”, conta a secretária de Saúde de Flor do Sertão, Maristela Valler.

Um trabalho semelhante foi feito em Pedro Teixeira, onde o governo municipal usou carros de som para manter a população informada sobre os sintomas da doença e o que fazer ao aparecerem os primeiros sinais, explica a secretária de Saúde do município, Neuma Almeida.

“Tivemos também a participação ativa do Comitê de Enfrentamento à Covid-19, e temos encontros até hoje. Fizemos barreiras sanitárias e distribuímos máscaras e álcool para a população”, aponta a secretária. O abastecimento dos moradores com os itens de segurança também foi feito pela prefeitura de Flor do Sertão.

0

A Secretaria de Saúde de Santana dos Montes também apostou na comunicação pelas redes sociais. Na página do Instagram dedicada apenas à saúde do município, é postado o boletim epidemiológico com alertas sobre formas de contágio, importância da vacina e sintomas da doença. O espaço também é usado para chamar novos grupos para a vacinação.

Em postagem no site da prefeitura de Novo Tiradentes, o governo local parabenizou a população pelo respeito às normas sanitárias e por acreditar na vacinação, que já ultrapassa os 96% no município. A secretária de Saúde da cidade, Marília Della Pasqua, afirmou que o placar zerado de mortes só foi possível por meio do trabalho das equipes de saúde em conjunto com a colaboração e o respeito da comunidade aos protocolos de segurança.

Rede de atendimento

Apesar dos 1,4 mil quilômetros que separam os municípios de Pedro Teixeira e Flor do Sertão, o desenvolvimento da pandemia aconteceu de forma muito parecida – apenas dois casos graves de Covid-19 foram contabilizados até o momento em cada uma das cidades. Os pacientes foram transportados para municípios vizinhos com estrutura de UTI e se recuperaram.

Valler conta que Flor do Sertão contratou mais um médico para cobrir as noites e os finais de semana, e um enfermeiro que fica de prontidão 24h para garantir o atendimento à população. Ela lembra que, no começo da pandemia, qualquer pessoa com sintoma procurava o centro de saúde e já recebia instruções de isolamento, caso fosse necessário.

“Criamos uma sala especial para a pessoa suspeita, só entrava um por vez e desinfetávamos tudo depois. Compramos uniforme para quem trabalha na Secretaria de Saúde, para que ninguém circulasse na rua ou fosse embora com a mesma roupa que atendeu alguém possivelmente infectado. O que podíamos fazer para evitar a transmissão do vírus, fizemos. Quando o assunto é epidemiologia, o melhor a fazer é prevenir”, explica a secretária.

Aposta na vacina

No município catarinense, cerca de 92% da população já completou o esquema vacinal. Valler diz que os poucos que se recusam a tomar o imunizante justificam questões religiosas, ou o exemplo do presidente da República, Jair Bolsonaro (PL). “Sempre tem uma desculpa, mas a maioria da nossa população já se vacinou”, conta.

Em Pedro Teixeira, quase toda a população já recebeu o imunizante: segundo o último boletim epidemiológico, 1.845 pessoas foram vacinadas até o momento.

[ad_2]

Source link

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here