Número de famílias com dívidas atrasadas é o maior em 12 anos

0
39

Segundo Nacional de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic) divulgado pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) no dia 3 de março de 202, o percentual de famílias com dívidas e/ou contas em atraso atingido em fevereiro o maior patamar desde março de 2010.

“Alcançando 27% dos lares, o indicador de inadimplência apresentado, em fevereiro, aumento de 0,6 ponto (pp) em relação a janeiro e de 2,5 pp na comparação com fevereiro de 2021. condições de suas contas a pagar ou permanecerá em atraso e, portanto, permanecerá em atraso, ela também acirrou na passagem, com aumento de 0,4 pp, a proporção mensal a 10,5%, mesmo percentual de fevereiro do ano passado”afirmou um CNC.

Ainda conforme a pesquisa, em fevereiro, 76,6% das famílias informaram ter dívidas a vencer (cheque pré-datado, cartão de créditocheque especial, carnê de loja, crédito consignado, comparando Em fevereiro de 2021, em fevereiro de 2021, foi calculado para famílias endividadas era de 66,7%, 9,9 pontos percentuais a menos que o número atual.

É que você provavelmente também gosta:

Confira dicas para evitar problemas com golpes e golpes no cartão de crédito

Prazo para regularização de dívidas de microempresas e MEIs termina dia 31 de março

José Roberto Tadros, presidente da CNC, em nota, opinou sobre o cenário atual, que o aumento constante dos juros, que torna o crédito mais caro e impossibilita a renegociação das dívidas:

“O panorama mostra que, na margem, o custo do crédito mais elevado e o próprio endividamento entre as pessoas que vivem no mesmo novo domicílio dificultam a contratação de dívidas e o pagamento dos compromissos na data de seus vencimentos.”

Os bancos centrais, segundo a média do CNC, recursos de crédito, bancos que como taxas de juros, alavancaram para as pessoas% em janeiro de 2021 para 46,3% em janeiro de 2022. lado, como crédito com recursos livres para pessoas físicas cresceram 13,1% em comparação ao ano passado, mas caíram2,7% de dezembro para janeiro, na média diária.

Aumento das dívidas

O endividamento aumentou nos dois grupos de renda que foram. Sendo que:

  • Famílias com renda até dez pontos aumentados – aumento percentual de 0,7,8% – total de 7,8%;
  • Famílias com renda acima de dez, aumento de pontos percentuais de 10,2% (maior patamar histórico).

Já em relação à inadimplência, os percentuais de famílias com contas ou dívidas atrasadas são:

  • Famílias com renda até dez% – 30,3% (ou patamar histórico);
  • Famílias com renda acima de dez,6% – 12%maior percentual desde abril2018).

O principal tipo de dívida do Brasil é com o cartão de crédito, porém teve uma redução em relação a fevereiro de 2021. Sendo assim, as famílias endividadas com esse tipo de conta chegam a 86,5%.

Para Izis Ferreira, economista da CNC e responsável pela pesquisa, o encarecimento do crédito no país e a instabilidade no mercado de trabalho devem continuar impactando a situação de endividamento e de inadimplência dos consumidores, principalmente esse ano com o processo eleitoral, que gera maior incerteza econômica .

“Consideramos que apoiamos e representamos o pagamento dos compromissos assumidos e a renegociação das dívidas”disse a economista.

Enfim, quer ficar por dentro de tudo o que acontece no mundo das finanças?

Então não siga não canal do youtube e em nossas redes sociais, como o o Facebook, Twitter, Contração muscular e Instagram. Assim, você vai acompanhar tudo sobre Bancos digital, cartões de crédito, Financeiro, fintechs e relacionado ao mundo das finanças.

Imagem: Prostock-studio / Shutterstock.com

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here