conheça os CEOs da fintech que ficaram bilionários antes dos 30 anos

0
54

Dois brasileiros entraram para o seleto grupo de pessoas que se tornaram bilionárias antes dos 30 anos. Henrique Dubugras (à esquerda na foto), 26 anos, e Pedro Franceschi, 25 anos, alcançaram a marca no início deste ano quando a Brex, fintech de cartões de crédito corporativas fundadas por eles, atingiu uma avaliação de mercado de US$ 12,3 bilhões (R$ 62,8 bilhões).

É que você provavelmente também gosta:

Conheça as fintechs que podem se tornar os próximos unicórnios do Brasil

Nova fin promete emprestar o seu dinheiro e te pagar juros!

Todavia, a empresa não é o primeiro negócio bem sucedido dos dois. Em 2014, Dubugras e Francheschi lançaram a Pagar.me, uma empresa de pagamentos online. A ideia saiu do papel só dois meses depois de eles se conhecerem no Twitter por causa de uma discussão sobre qual editor de texto era melhor depois na hora de programar.

Dubugras brincou dizendo que “essa disputa de editores de texto é quase do que os confrontos de torcida entre São Paulo e Corinthians. Começou a ficar muito difícil em 140 caracteres fáceis para o Skype. Eram bem amigos pelo fato de sermos adolescentes que gostavam de programar.”

A idade, que parecia ser um problema, tornou-se uma grande vantagem. Na época da primeira criação, Dubugras tinha 19 anos e Francheschi, 18.

“Como seremos muitos novos, muito dedicados, a atenção de muita bola se fôssemos mais velhos. O negócio era diferente e novo, o que fez o pessoal querer ajudar. Os clientes muitas vezes ficaram com o pé atrás, mas como o software era bom, acabou que deu certo”, explicou Dubugras.

Pagar.me chamou a atenção do cofundador da Stone

Em pouco tempo, uma startup chamou a atenção de André Street, cofundador da Stone, que fez um aporte por meio da Arpex Capital e-se mentor do par. “O André a gente a aprender, a gente a aprender e isso é muito gente. Ele era uma pessoa que tinha uma empresa bem iniciada e começou muito novo também”, contorna.

Entretanto, quando a Pagar.me completou três anos, os sócios foram aprovados para estudar em Stanford, na Califórnia, e vender uma empresa para quem já assinou Stone.

“Na época, não existia nenhum unicórnio brasileiro, então na cabeça não tinha como criar uma empresa tão grande por aqui”, original Dubugras sobre a decisão de deixar o país.

Como nasceu em Brex

Os dois jovens empreendedores não continuaram muito tempo com estudos. Eles aram um ano de programas e cursam empresa, as aulas de uma nova empresa a Brex. A ideia para uma fintech surgiu quando Dubugras e Franceschi Haviam várias startups que existiam, mas que não levantaram crédito para contratar serviços de cartão como contas.

Assim como aconteceu com o Pagar.me, logo da Brex atraiu investidores. Os valores das rodadas de financiamento foram crescendo até mais recentemente atingir US$ 300 milhões e levar Dubugras e Franceschi finalmente ao ranking dos bilionários da Forbes.

Enfim, quer ficar por dentro de tudo o que acontece no mundo das finanças?

Então não siga não canal do youtube e em nossas redes sociais, como o o Facebook, Twitter, Contração muscular e Instagram. Assim, você vai acompanhar tudo sobre Bancos digital, cartões de crédito, Financeirofintechs e relacionados ao mundo das finanças.

Imagem: Brex/Divulgação.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here