Seis aparelhos que todo mundo deveria passar a limpar — e bem! | Eletrônicos

0
54

A higienização de aparelhos eletrônicos necessários nem sempre tem atenção. Muitos usuários ignoram o processo de limpeza e, por não verem sujeiras a olho nu, acredita-se que o item é realmente limpo e condições adequadas ao uso. , como telefones celulares Contudo a se acumular nos fones de ouvido, teclados, laptops e até telefones celulares. O controle do PlayStation 5 (PS5) ou Xbox Series X/Sinclusive, pode estar cheio de bactérias e outros microrganismos sem que o próprio jogador possa trabalhar.

Os smartphones mal higienizados também podem ser um risco para o usuário. Quem costuma gravar áudios não Whatsapp com o microfone perto da boca corre o risco de levar alguma bactéria ou vírus para dentro do organismo, o que se torna ainda mais problemático no contexto da Covid-19. Para acabar com esse problema, veja a lista que o TechTudo preparaçãou com seis eletrônicos que não podem faltar na sua limpeza rotineira.

Panos de microfibra levemente umedecidos por água e álcool podem fazer a limpeza da tela — Foto: Reprodução/WikiHow

As almofadas do seu fone de ouvido podem acumular microrganismos infecciosos — Foto: Viviane Werneck/TechTudo

Os fones de ouvido devem ser um dos primeiros itens de higienização da sua lista. Por estar em direto com a orelha do usuário, é comum o contato com bactérias e fungos que ficam presos na orelha.

O modelo intra-auricular precisa de um olhar redobrado, já que a sua construção facilita que qualquer tipo de microrganismo entre nos alto-falantes e fique acumulado durante muito tempo. Para pessoas que supostamente deveriam ser um grande risco para a saúde, essa falta de limpeza pode ser um grande risco para a saúde.

Os headsets também são problemas para o usuário quando não são bem higienizados. Isso porque as almofadas tendem a acumular fungos que causam alergias na pele e no couro cabeludo. O certo é fazer a limpeza de todo tipo de fone álcool isopropílico 70% e algodão. Nos modelos intra-auriculares, o uso de um cotonete deve auxiliar na retirada de resquícios de cera presos nos alto-falantes.

Kits de teclado e mouse podem acumular sujeira e até mesmo proliferar fungos — Foto: Reprodução/Tainah Tavares

O teclado e o mouse podem acumular microrganismos sem que você possa trabalhar. Como são usados ​​dois acessórios usados ​​o tempo inteiro, é comum que o usuário comece a usar e mexer no mouse sem remover as mãos previamente. A tendência é que algum dia ocorra o acúmulo de bactérias e fungos em toda a estrutura, que podem infectar a um momento.

Enquanto o usuário assiste a uma aula ou vê uma série na Netflix, é comum que ele encoste acessórios e leve a mão até a boca. Esse é apenas um dos canais de entrada para microrganismos perigosos para o corpo humano. Além disso, coçar os olhos, ouvidos e outras saúdes pode trazer riscos. Por isso, use não só limpadores de poeira no seu teclado e também álcool isopropílico 70& e outros produtos para higienização.

Ao tocar na tela e outras partes da construção, a sujeira acumulada na mão pode passar para o notebook — Foto: Divulgação/Dell

O notebook traz o mesmo problema que o teclado e o touchpad. Bactérias e fungos se acumulam no espaço em que o usuário mexe com frequência e que, nem sempre, tem a limpeza correta. O risco de levar a mão até a boca com algum microrganismo infeccioso é grande, o que pode gerar bastante dor de cabeça. Aparelhos ainda que mais risco, pois é comum o proprietário divida ou computador com outras pessoas.

Quando outro usuário entra em contato com seu laptop, ele pode ativar bactérias e fungos em toda a construção do aparelho. A própria tela pode ser um risco, já que fica próxima ao rosto da pessoa e pode salvar vírus que foram expelidos por meio de gotículas da saliva. Portanto, é essencial comprar um pano de microfibra e passá-lo em toda a construção do laptop. Existem limpa-telas vendidas no mercado que podem ajudar nessa higienização.

Celular pode ser um meio para bactérias e outros microrganismos — Foto: Getty Images

O celular pode ser um dos maiores riscos da lista. Isso acontece em contato direto com as mãos, rosto, bolsas e muitos outros lugares que contˆm todos os tipos de microrganismos. É comum emprestar o smartphone para outros usuários e até mesmo permitir-lo cair na rua as bactérias presentes podem ser altamente perigosas. A própria Covid-19, quando o vírus fica preso em gotículas na superfície do celular, pode contaminar uma pessoa.

Por isso, a principal é que o smartphone seja higienizado todos os dias. Mesmo que o usuário não saia de casa com ele, o contato com as mãos e o rosto podem gerar um acúmulo muito grande de qualquer tipo de sujeira e assim causar problemas de saúde. Use álcool isopropílico 70% ou outros produtos que sejam recomendados pelo fabricante. O famoso limpa-telas pode ser uma alternativa interessante.

Acúmulo de sujeira entre as teclas do controle remoto é bastante comum — Foto: Reprodução/Lucas Mendes

Por falar em contato direto, o controle remoto é outro acessório que precisa de atenção redobrada. Mesmo que ele não seja o tempo inteiro nas mãos do usuário, é comum que ele entre uma pessoa e outra. Sempre que alguém para assistir à TV o controle é usado — e geralmente não passa pelo processo de higienização.

Uma medida que estabelecimentos como os que tomam é de muitos envelopes remotos. Isso evita que bactérias e fungos se acumulem entre os botões. Contudo, mesmo que o usuário escolha usar essa proteção, o plástico em volta precisa passar por configuração, já que ele também acumula microrganismos que podem ser perigosos.

controles de videogame devem ser limpos com frequência — Foto: Divulgação/Forbes

Por fim, os videogames famosos não ficam de fora da lista. Os usuários controlam o mesmo problema que teclados e mouses, já que estão em contato direto com o controle, nem sempre, tem mãos corretamente. Isso acúmulo de sujeira e à possibilidade de perigo de perigo. Uma dica interessante é passar um pano úmido com álcool isopropílico 70% todos os dias, e assim evitar qualquer problema para a saúde.

Mas não pense que somente os controles dos videogames podem trazer riscos. O próprio console acumula sujeira e pode conter microrganismos quando entram em contato com o próprio console que pode acumular sujeira até o corpo humano, podem gerar recursos e sepulturas. Da mesma forma como foi realizada a higienização do controle, limpe também o aparelho. Assim, você também reduz o risco de danos de fungos dentro do eletrônico.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here