Irã diz que questões-chave continuam sem solução nas negociações nucleares de Viena Por Reuters

0
53

2/2
© Reuters. FOTO DE ARQUIVO: A bandeira iraniana tremula em frente à sede da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) em Viena, Áustria, 1º de março de 2021. REUTERS/Lisi Niesner

2/2

Por Parisa Hafezi e John Irish

VIENA (Reuters) – O Irã disse nesta segunda-feira que os esforços para reviver um acordo nuclear de 2015 podem ter sucesso se os Estados Unidos tomarem uma decisão política para atender às demandas de Teerã, já que meses de negociações entram no que um diplomata iraniano chamou de estágio “agora ou nunca”.

As apostas são altas, já que o fracasso de 10 meses de negociações acarretaria o risco de uma nova guerra regional e a imposição de sanções adicionais duras ao Irã pelo Ocidente.

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores do Irã identificou as questões pendentes restantes como: até que ponto as sanções seriam revertidas, fornecendo garantias de que os Estados Unidos não deixarão o pacto novamente e resolvendo questões sobre vestígios de urânio encontrados em vários locais antigos, mas não declarados, no Irã.

Todas as partes envolvidas nas negociações dizem que houve progresso na restauração do pacto para conter o programa nuclear de Teerã em troca do alívio das sanções, que os Estados Unidos abandonaram em 2018. Mas tanto Teerã quanto Washington alertaram que ainda existem algumas diferenças significativas superar.

“Alcançar um bom acordo é possível… três questões-chave ainda precisam ser resolvidas. Os EUA e as potências europeias não tomaram decisões políticas sobre essas grandes questões”, disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores do Irã, Saeed Khatibzadeh, em entrevista coletiva semanal.

O Ministério das Relações Exteriores da França disse na segunda-feira que technology urgente concluir as negociações nesta semana.

O essential negociador nuclear do Irã, Ali Bagheri Kani, que voou para Teerã na semana passada para consultas sobre a versão ultimate do acordo, se reunirá na segunda-feira com Enrique Mora, da União Europeia, que coordena as negociações em Viena.

Duas fontes próximas às negociações em Viena disseram que o Irã apresentou novas demandas, enquanto continua insistindo nas existentes, incluindo a remoção de uma designação de organização terrorista estrangeira dos EUA (FTO) contra a elite da Guarda Revolucionária do Irã (IRGC).

“A postura do Irã após a viagem de Bagheri a Teerã se tornou ainda mais intransigente… eles agora insistem na remoção das sanções ao IRGC e querem abrir questões que já foram acordadas”, disse uma das fontes.

Diplomatas disseram que as negociações entraram em um estágio the most important, dada a política intransigente do Irã nas negociações e o envolvimento de outras partes na crise sobre a Ucrânia.

“É agora ou nunca. Se eles não conseguirem chegar a um acordo esta semana, as negociações entrarão em colapso para sempre”, disse um diplomata iraniano em Teerã.

Os Guardas são uma facção poderosa no Irã que controla um império de negócios, bem como forças armadas de elite e serviços de inteligência. Dezenas de seus comandantes ocupam cargos de alto escalão no governo linha-dura do presidente Ebrahim Raisi.

A designação da Guarda pela FTO por Washington em 2019, que foi a primeira vez que os Estados Unidos rotularam formalmente parte de outro governo soberano como um grupo terrorista, causou mais problemas para a economia do Irã atingida por sanções.

Além disso, Teerã insiste que a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) abandone suas alegações sobre o trabalho nuclear de Teerã, contestando uma afirmação do órgão de vigilância nuclear da ONU no ano passado de que Teerã não conseguiu explicar completamente a presença de vestígios de urânio encontrados em vários locais não declarados.

“Respondemos às perguntas da agência. Mas, em vez de encerrar o caso politicamente motivado, eles o estão usando para obter influência nas negociações”, disse uma autoridade iraniana em Teerã.

O arqui-inimigo do Irã, Israel, pressionou por uma política dura se a diplomacia não controlar o trabalho nuclear do Irã. Teerã alertou para uma resposta “esmagadora” se for atacada.

Em reação à reimposição de sanções pelo então presidente dos EUA, Donald Trump, após abandonar o acordo em 2018, Teerã violou os limites nucleares do pacto.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here