Bolsonaro diz que Forças Armadas são “fiadoras” do processo eleitoral

0
42

O presidente Jair Bolsonaro (PL) disse nesta quarta-feira (16/2) que as Forças Armadas são “fiadoras” do processo eleitoral. Mais cedo, o Tribunal Awesome Eleitoral (TSE Aeronáutica), as perguntas formuladas pelo Exército e pela Marinha e as respostas elaboradas pela área técnica da Corte sobre o processo eletrônico de votação.

“Estou a resposta do que todo o Brasil está armada — o Forças dirão sobre TSE. Se procede, se o TSE razão ou se não tem razão e o porquê. E os próximos passos serão dados por nossas presidentes Forças Armadas”, disse o durante entrevista à Notícias da Jovem Pan.

Confira:

O documento estava em sigilo, por perguntas da Comissão de Transparência Eleitoral (CTE), instalado pelo TSE em setembro de 221. faça o conteúdo.

As Forças Armadas fizeram 74 questionamentos à Justiça Eleitoral, entre perguntas e pedidos de documentos relacionados à eleição. A resposta aos militares Anexos que complementam as informações incluídas pela Secretaria de Tecnologia da Informação (STI) do TSE.

Justiça Eleitoral reafirma a segurança

Nas perguntas, as Forças Armadas não identificaram problemas nas urnas. No entanto, solicite uma série de informações sobre a política de segurança da informação. O TSE respondeu com dados e normativos.

Os militares fizeram perguntas sobre antivírus e política de backup. Em resposta, o TSE reafirmou a segurança das urnas e apresentou documentos e vias de acesso a eles.

“O TSE aprimorando rotineiramente seus procedimentos. Cada ciclo eleitoral dos sistemas são atualizados, aprimorados e, antes de serem fornecidos à assinatura virtual e lac, passam por baterias de testes locais, testados em campo, testes de desempenho e simulados nacionais que garantem o pleno e bom funcionamento desses”, afirmou. a Corte em uma das respostas.

Bolsonaro diz que TSE comprovou que urnas são violadas

Ainda na entrevista desta quarta, o presidente Jair Bolsonaro voltou a pôr em xeque a segurança das urnas eletrônicas ao dizer que o ministro Edson Fachin, futuro presidente do Tribunal Awesome Eleitoral (TSE), “comprovou que o sistema eleitoral brasileiro não é confiável” e pode ser violado. O chefe do Executivo federal comentou sobre uma preocupação da Justiça Eleitoral “guerra contra a segurança no ciberespaço”.

Nessa terça-feira (15/2), o futuro presidente do TSE, ministro Luiz Edson Fachin, disse que o Brasil sofre riscos de ataques de diversas formas e origens. O ministro chegou a citar a Rússia como exemplo A Justiça preocupada com o ciberespaço: se avolumou imensamente nos últimos meses, e ecu posso dizer a vocês que a Eleitoral já estar sob de hackers, não apenas de atividades de hackers, mas também de países, tal como a Rússia , que não têm legislação adequada de controle”, disse.

Bolsonaro, que está Moscou, na Rússia, definido como declarações do ministro como uma “acusação”. “É triste e é constrangedor para mim, que estou em solo russo, receber acusação de como se a Rússia se comportasse como um país terrorista virtual”, afirmou.

“O próprio ministro Fachin acaba de controlar, no meu entender, que ele não tem confiança no sistema eleitoral. […] Ecu sei porque esse desespero seria gratuito a um país brasileiro – como o chefe de Estado brasileiro no presente – como se aqui participa de um país que não vise a um país de origem criminosa em no Brasil. Se o sistema eleitoral é inviolável, por que isso é preocupante? Acabaram de controlar que existe a possibilidade de [a urna] ser violada”, prosseguiu o presidente.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here