[ad_1]

Febre e dor de garganta são alguns dos principais sintomas da variante Ômicron. Entretanto, essa cepa de Covid-19 apresenta novos sintomas e é preciso estar atento a alguns deles para buscar o diagnóstico que confirme a presença do vírus no organismo.

Confusão psychological

Dados do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), dos Estados Unidos, mostraram que episódios de confusão psychological estão associados à variante Ômicron. Caso esse sintoma apareça, é indicado buscar uma emergência médica.

Ômicron: conheça os principais sintomas da nova variante da Covid

0

Além disso, o CDC também alerta para problemas como a incapacidade de ficar acordado e uma tonalidade pálida ou azul na pele. Esses indícios podem indicar a infecção pela nova cepa de Covid.

Problemas nos olhos

Para a Organização Mundial da Saúde (OMS), irritações nos olhos fazem parte da lista de sintoma menos comuns do vírus. Esse sinal já havia sido relatado para as outras cepas do Sars-CoV-2 e segue valendo para a Ômicron. Os problemas podem incluir conjuntivite, vermelhidão, coceira, dor, sensibilidade e visão embaçada.

Dor nas costas

De acordo com os dados do Zoe Symptom Learn about App, um dos principais instrumentos de monitoramento da Covid-19 no Reino Unido, a dor nas costas vem sendo relatada como um sinal precoce da variante Ômicron. Na Inglaterra, o sintoma vem sendo descrito como presente em 20% dos quadros dos pacientes.

Responsável pelo estudo, o especialista Tim Spector comentou em entrevistas que o sintoma está bastante frequente e, por isso, foi adicionada como uma opção de sintoma precoce.

Perda de apetite

Os relatórios do aplicativo Zoe Symptom também identificaram a perda de apetite como um sintoma da Covid. Apesar disso, o sinal é menos recorrente hoje do que technology no início da pandemia, quando outras variantes predominavam.

Vômitos e diarreia

Spector disse ao The Solar que a variante pode estar se instalando no intestino. “Sabemos que esse vírus viaja para diferentes partes do corpo. É possível que a Ômicron ou outra variante esteja atacando o intestino”, afirmou o especialista, ao contar que os casos de mal estar gástrico relacionados ao coronavírus estão crescendo nesta nova onda.

O pesquisador, inclusive, acredita que alguns resultados de falso negativo ocorrem porque o vírus vai para o intestino e os exames são feitos no nariz.

Suores noturnos

Ainda no começo da expansão da cepa, infectologistas sul-africanos identificaram que indivíduos com a Ômicron apresentavam suores noturnos. Para o jornal britânico The Solar, o médico Amir Khan disse que, em algumas pessoas, o sintoma é tão intenso que as leva a trocar a roupa de cama.

[ad_2]

Supply hyperlink