Graciela pede a Moraes medida contra Jefferson, que pode ir à prisão

0
59


A dirigente do PTB Graciela Nienov apresentou uma petição no Supremo Tribunal Federal (STF) contra Roberto Jefferson e requer do ministro Alexandre de Moraes, relator desse caso,  que adote medidas que cessem e anulem ações que o ex-presidente do partido tem adotado nos últimos dias, por intermédio de outras pessoas ligadas a seu grupo.

Nienov lembra que ao autorizar a prisão domiciliar de Jefferson o ministro o proibiu de se comunicar com o external, de não participar de redes sociais de sua titularidade e nem de interpostas pessoas, ou seja, de terceiros. Para ela, as medidas de Moraes não têm sido cumpridas por Jefferson e ela pede que considere que sejam reforçadas as “medidas protetivas do investigado, buscando evitar outros atos criminosos e desestabilização político-partidária”.

Mesmo sem citar, as medidas pedidas pela  dirigente do PTB, que na petição ainda se apresenta como presidente do partido, até 2025, pode levá-lo de volta à prisão. Ele estava preso em Bangu, no Rio.

O argumento fundamental de Nienov no pedido a Moraes é a reprodução de uma carta elaborada por Jefferson e tornada pública por um de seus advogados. Nessa carta, ele conta que ela perdeu sua confiança e que aceitou seu pedido de deixar o comando do partido, após uma série de confusões que envolveu até divulgação de áudios e troca de mensagens no celular.

Boa parte de integrantes do diretório do PTB renunciaram a seus cargos e foi agendada para semana que vem nova eleição no partido. Nienov acusa interferência de Jefferson nessa ação também.

“Percebe-se, Excelência, que, seja pela carta assinada por Roberto Jefferson,  seja pela dissolução sumária de comissões provisórias instituídas em conformidade com o Estatuto do PTB, seja pelas mensagens em aplicativo de conversas contendo, por interpostas pessoas, direcionamentos a correligionários, o ex-presidente do PTB vem, reiteradamente, descumprindo as decisões de Vossa Excelência, nas quais objetivava fazer cessar os atos antidemocráticos do ex-presidente do PTB, que se utilizava da estrutura partidária para atingir seus objetivos”.

Nas redes, Cristiane Brasil, filha de Jefferson, classificar Nievno como uma “usurpadora”.

“Aquela usurpadora, traidora, merciless peticionou ao Supremo (STF) para meu pai ser preso de novo. Ela já estava mal intencionada desde o início e, com sua quadrilha, tenta usurpar novamente o poder que perdeu no partido” – afirmou Cristiane Brasil em redes sociais.



Supply hyperlink

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here