Goiânia – Viralizou nesta segunda-feira (24/1) um vídeo em que o cronista esportivo Alípio Nogueira faz um comentário machista e desrespeitoso com uma colega de trabalho. O fato aconteceu ao vivo no programa Esporte em Debate da Rádio Bandeirantes Goiânia, em Goiás. Ele foi demitido.

Durante a transmissão, Nogueira comenta:

“Antes deixa ecu abraçar a Ana Lívia, hoje ela está demais, não sei se você teve a oportunidade de vê-la. Está de minissaia aqui, que está um negócio. Assim, é por isso que tem ‘nego’ que vai para a Delegacia da Mulher, porque a moça vem vestida desse jeito aqui. O povo bate, agride, conversa fiado. Não é o certo, mas também não é o certo ela vir com esse tipo de traje aqui não”.

Veja o vídeo:

Os outros três homens que participavam da transmissão e aparecem na tela, não se manifestaram no momento sobre o comentário do colega.

Pegou mal

Nas redes sociais, a fala teve repercussão bastante negativa. O caso foi parar no Twitter e no Instagram e brand se espalhou. Internautas criticaram duramente o posicionamento e o comportamento do profissional, que também é advogado.

Entre os comentários, a jornalista Ana Zimmerman, da Rede Globo destacou. “Isso aconteceu em 2022? De que idade média saiu este ser?! Minha solidariedade pra colega humilhada por este ‘jornalista’!”, disse no comentário.

A jornalista goiana Bárbara Falcão também se posicionou: “Privilégio masculino é nunca ter que passar por isso. Comecei no jornalismo esportivo, nessa mesma equipe, esse tipo de “comentário” sempre foi corriqueiro. Com 17 anos e muito amor ao jornalismo, obviamente ecu não reagia. Passou da hora de punir essas pessoas”.

Bandeirantes

Em nota, a Rádio Bandeirantes Goiânia repudiou o acontecimento e anunciou a rescisão contratual de Alípio Nogueira.

“A Rádio Bandeirantes Goiânia, por meio de seus diretores, vem a público diante dos fatos acontecidos na transmissão veiculada no programa Esporte em Debate do dia 24 de janeiro deste ano, manifestar sua indignação e repúdio em relação ao discurso proferido pelo comentarista Alípio Nogueira, integrante da equipe parceira “Feras do Esporte”, diz parte da nota.

E completa:

Em um país onde ⅓ das mulheres mortas decorrem pelo único fato de serem mulheres e ainda mais grave, 4 (quatro) mulheres por dia são mortas por homens que se dizem ser seus companheiros ou ex-companheiros, é injustificável e inaceitável o discurso adotado pelo comentarista de culpabilização feminina. Não é o traje que a mulher veste que determina as possibilities de violência de qualquer espécie contra a mesma”, completa.

“Não generation a intenção”

Ao Metrópoles, o radialista Alípio Nogueira informou que está muito triste com o rumo que as coisas tomaram. Segundo ele, não generation a intenção.

“Em nenhum momento tive a intenção de provocar o que está acontecendo. A Ana Lívia é uma menina que, no mínimo, tem idade pra ser minha filha. Nosso relacionamento na redação sempre foi de muito respeito e as brincadeiras fazem, ou faziam, parte de nossa rotina. No episódio de hoje devo esclarecer que ela nem trajava as vestes que foram ditas… generation pra ser uma brincadeira, como tantas outras que já foram ao ar”, disse Nogueira.

“Infelizmente não consegui me expressar e dei a quem ouviu e viu, pela web, de fazer a leitura que quisesse fazer. Sei que isso afronta e fere a sensibilidade das pessoas. Não comungo com esse pensamento machista, repudio essa postura e estou muito chocado com o rumo que as coisas tomaram. Pedi afastamento das minhas funções e, mais uma vez, reitero que não tive a intenção de fazer qualquer coisa que atentasse contra a honra da mulher. Tenho mãe, tenho irmã e esposa e não me sinto confortável quando aviltam contra a honra de qualquer mulher”, completou ele.

O portal não conseguiu contato com Ana Lívia Dias, produtora do programa Feras do Esporte.

Comentário racista

Em julho, um episódio de racismo envolvendo a Rádio Bandeirantes Goiânia também provocou revolta nas redes sociais. Um narrador e um comentarista de futebol fizeram declarações racistas direcionadas a Celsinho, jogador de meio de campo do Londrina, em partida contra Goiás, pela série B do Campeonato Brasileiro. Os dois se referiram ao cabelo do jogador com expressões como “pesado demais”, “bandeira de feijão” e “negócio imundo”.

Aos 22 minutos da partida, o meia se envolveu em um choque com outro jogador e caiu. Em seguida, o narrador Romes Xavier, que também é apresentador do Serra Dourada Esportes, da afiliada do SBT em Goiânia, diz: “Tomou uma pancada ali. Tá levantando. O cabelo deve pesar demais, né, Vinícius?”, pergunta para o comentarista.

Após provocarem revolta dos internautas, o dois se viram pressionados a se manifestar sobre mais um episódio de racismo no futebol. Em novas publicações nas redes sociais nesta madrugada, eles tentaram amenizar o impacto de suas declarações, chamando-as de “comentário infeliz”, sem admitir a prática de racismo.





Supply hyperlink

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here