(Bloomberg) — A variante ômicron tem complicado a recuperação da economia mundial, que continua a ser afetada pelo caos nas cadeias de suprimentos, ausências de trabalhadores e falhas nas linhas de montagem.

Os supermercados têm dificuldade para abastecer as prateleiras em meio à escassez crônica de funcionários. Companhias aéreas cancelam voos. Produtores enfrentam interrupções e as companhias marítimas permanecem em marcha ré. Ao mesmo pace, preços de energia sobem em meio a alta da inflação, pressionando bancos centrais a elevarem as taxas de juros mesmo com a desaceleração da recuperação.

Otimistas argumentam que o impacto econômico da ômicron será limitado, pois as vacinas e as doses de reforço permitem que a doença passe de uma fase aguda para uma endêmica. A Secretária do Tesouro dos EUA Janet Yellen disse que não espera que a variante atrapalhe a recuperação americana.

A análise da Nomura sobre o impacto da ômicron em nações atingidas precocemente, como o Reino Unido e o Canadá, vê ondas com menor duração, quedas de picos mais rápidas e taxas de mortalidade mais baixas em comparação com a variante delta. Isso significa que o fator psicológico de medo pode desaparecer em breve e a demanda reprimida por serviços voltará.

Ainda assim, à medida que a pandemia persiste pelo terceiro ano, fica mais claro a cada dia que o retorno à normalidade econômica está distante. A economia world agora está dividida entre países que vivem com o vírus e a busca obstinada da China pela Covid 0.

Isso representa uma combinação incomum de desafios que correm o risco de serem incorporados às perspectivas de longo prazo, de acordo com economistas do Citigroup. Seus pares do JPMorgan Chase & Co. dizem que o crescimento world agora está diminuindo devido a ômicron.

O Banco Mundial já reduziu suas perspectivas de crescimento e a diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional Kristalina Georgieva prevê um ano difícil para as autoridades de política monetária, dizendo que 2022 será como “navegar em uma pista de obstáculos”. O FMI divulgará novas projeções nos próximos dias.

O surto de infecções ocorre enquanto pressões inflacionárias estão forçando alguns bancos centrais, liderados pelo Federal Reserve, a aumentarem a taxa de juros. O banco central dos EUA deve sinalizar nesta semana planos para elevar a taxa de juros em março pela primeira vez desde 2018.

A Coreia do Sul já aumentou a taxa este mês, seu terceiro aumento desde o verão, e as economias emergentes também estão apertando a política monetária. A China é a exceção, cortando taxas para proteger a economia de uma queda no mercado imobiliário e da desaceleração do crescimento doméstico.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Para muitas economias, a disrupção é actual.

Da Austrália aos EUA e Reino Unido, as cadeias de abastecimento de alimentos estão sofrendo interrupções e os preços dispararam devido às altas taxas de frete, clima ruim, escassez de mão de obra e custos de energia. As viagens aéreas continuam prejudicadas por restrições e escassez de funcionários, com milhares de voos sendo cancelados em todo o mundo.

Procurando uma boa oportunidade de compra? Estrategista da XP revela 6 ações baratas para comprar hoje.



Supply hyperlink

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here