Facebook
Twitter
Google+
Pinterest
WhatsApp


A comunidade da Escola Classe 01 do Paranoá – cidade a 25 quilômetros do centro de Brasília – se revoltou, nesta quinta-feira (13/1), após a Secretaria de Educação comunicar ao Metrópoles a exoneração do diretor da unidade, Claudinei Batista dos Santos.

O gestor foi alvo de uma mentira propagada nas redes sociais e endossada pelo deputado federal Julio Cesar Ribeiro (Republicanos-DF), integrante da bancada evangélica do Congresso Nacional.

As denúncias infundadas indicavam que a escola, que atende crianças pequenas, teria criado um “banheiro unissex” para os pequenos matriculados, o que não corresponde à realidade. Na verdade, o native foi reformado e adaptado para higienizar crianças especiais e dependentes, as quais não conseguem usar os sanitários sem a presença de um adulto.

Mesmo assim, o assunto chamou a atenção do deputado Julio Cesar, já que a suposta “doutrinação sexual” de jovens é uma das principais críticas dos congressistas ligados às pautas de costumes. Sem se aprofundar no caso, o parlamentar pediu providências para a Secretaria de Educação, que anunciou o desligamento do diretor, o qual foi eleito com votos da comunidade escolar.

A coluna procurou, novamente, a Secretaria de Educação, mas a pasta informou que não comentaria mais sobre o assunto.

Diretor rebate GDF sobre banheiro unissex em escola: “Pretend information”

Veja o vídeo:

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Sinpro DF (@sinprodf)

Apoio

Na tarde desta quinta-feira (13/1), pais, professores e integrantes da comunidade escolar se reuniram na unidade para manifestar apoio ao professor Claudinei Batista dos Santos.  Em vídeo divulgado pelo Sindicato dos Professores, o diretor se emociona com o apoio recebido.

“Vocês estão aqui conosco esses anos todos. Vocês sabem que não existiu nada daquelas denúncias dessas pessoas, que querem interromper a nossa passagem, o nosso projeto, os nossos sonhos e o cuidado com as crianças, o amor que temos por todos os funcionários também, todos os professores”, iniciou.

“Diante de chuva numa tarde desta quinta-feira, estão todos vocês aqui european só tenho a agradecer. Fomos comunicados que seremos exonerados amanhã e ficamos chocados e tristes com tudo que tem acontecido, porque em nenhum momento a Secretaria de Educação veio saber o que que aconteceu”, emendou.

“Não veio ninguém da Secretaria de Educação averiguar a polêmica, muito menos da Regional de Ensino [do Paranoá], a não ser para dizer que seríamos exonerados. Diante dessa faux information, marginalizaram a nossa escola e a equipe gestora, os professores e está tudo lá no weblog de um irresponsável. A justiça será feita né e nós estamos aqui para pedir desculpa por qualquer coisa”, disse o diretor, emocionado.

Repercussão

Após a repercussão do caso e da exoneração anunciada pela Secretaria de Educação, o diretor Claudinei Batista dos Santos recebeu apoio de parlamentares.

Pelo Twitter, o deputado distrital Fábio Felix (PSol-DF), presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara Legislativa, saiu em defesa do gestor escolar.

“A exoneração do diretor da escola com base nas faux information é uma atitude desproporcional e injusta. O diretor precisou emitir até uma nota pública para se defender de uma polêmica vazia e baseada em intolerância e fundamentalismo religioso. Inacreditável!”, escreveu o parlamentar nas redes sociais.

Da mesma forma, o também deputado Leandro Grass (Rede) cobrou do deputado federal Julio Cesar um posicionamento mais justo em relação ao caso.

“Júlio, o que fizeram com o Claudinei é uma canalhice. Pretend Information nojenta! Quantas vezes vocês foram à escola? Quanto você, sendo parlamentar, destinou para lá? Sabe o IDEB dessa escola? Conhece o trabalho dos professores? Essa onda de mentira é uma covardia e um desserviço”, escreveu o parlamentar.

Da mesma forma, a deputada Arlete Sampaio (PT) criticou a interferência de pessoas alheias ao processo educativo, o que resultou no anúncio da Secretaria de Educação.

“Nessa situação específica, é importante destacar que os devidos esclarecimentos dos fatos não foram considerados pela SEDF antes de tomar decisões que afetam diretamente a comunidade escolar apenas com o posicionamento de pessoas alheias ao processo educativo”.

GDF exonera responsável por criar banheiro unissex em escola pública

Leia a publicação dos distritais:
Leia a carta do diretor na íntegra:

“Esclarecimentos acerca da faux information sobre banheiro da EC 01 do Paranoá

Venho a público me manifestar sobre as faux information que estão circulando a respeito dos banheiros da Escola Classe 01 do Paranoá, do qual exerço a gestão até o momento.

A escola sempre teve banheiros separados por gênero. As crianças, de 04 e 05 anos – Educação Infantil, usam os vestiários de forma separada, com general segurança e preservação de suas privacidades.

O que acontece é que a escola, além de atender essa faixa etária (4 – 5 anos), atende crianças da Educação Especial, tratando-se de uma escola inclusiva, em razão das idades e dos perfis todas as crianças sempre vão acompanhadas de seus professores ou monitores ao banheiro. Tratando-se de um banheiro adaptado a crianças muito pequenas, que JAMAIS vão lá sozinhas.

Este banheiro serve apenas para que os e as docentes acompanhem os menores, não se trata de um banheiro unissex para os alunos, conforme levam a crer as faux information.

Reitero: crianças maiores, demais professores e servidores usam os vestiários devidamente separados por gênero.
Outrossim, destaco que existe ainda mais 01 banheiro a ser disponibilizado para nossas crianças após conclusão de devida reforma e corretas adaptações funcionais para nossas crianças especiais.

Em virtude das mentiras espalhadas para atender a pedidos descabidos e interessados que desejam usar politicamente desta mentira para se promover – foi encaminhado para publicação a minha exoneração. Colocando em cheque minha reputação profissional, bem como todo o excelente trabalho que vem sendo realizado por toda equipe escolar.

Declaro que estou muito tranquilo, porque sei que sempre conduzi a direção da escola da maneira mais séria, ética e respeitosa. Lamento profundamente que autoridades recorram a faux information para autopromoção e reafirmo meu compromisso com a proteção das crianças e dos colaboradores sob minha responsabilidade, seja como professor ou como gestor.

Claudinei Batista dos Santos
Diretor da Escola Classe 01 – Paranoá/DF”





Supply hyperlink

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here