Nos próximos dias, a vacinação contra a Covid-19 de crianças com idade entre 5 a 11 anos será iniciada em diversos locais do Brasil. As primeiras doses específicas para faixa etária deve chegar nesta quinta-feira (13/1).

Para garantir que o imunizante seja eficiente para as crianças, é preciso observar algumas questões no momento da vacinação. A médica Isabella Ballalai, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), explica que o rótulo não é igual ao das doses de adultos, justamente para diminuir o risco de erros humanos.

A especialista conta que a vacina infantil vem com a cor laranja, para diferenciar daquela que é usada entre maiores de 12 anos de idade. Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a identificação correta das doses para crianças de 5 a 11 anos é uma obrigação das autoridades públicas, que devem garantir ainda um treinamento eficiente para toda a equipe responsável.

Segundo Ballalai, a Covid-19 gera grandes impactos na vida diária dos pequenos e, por isso, a imunização de crianças deve ser fortemente recomendada. “Não podemos pensar em fechar escolas novamente. É necessário que as crianças sejam vacinadas também”, adverte.

Recomendações da Anvisa

Na fim de dezembro, a Anvisa listou uma série de recomendações para a vacinação de crianças contra a Covid-19. Entre elas, está que a imunização da nova faixa etária seja iniciada só depois do treinamento completo das equipes de saúde que farão a aplicação.

“A grande maioria dos eventos adversos pós-vacinação é decorrente da administração do produto errado à faixa etária, da dose inadequada e da preparação errônea do produto”, explicou a agência.

Outra recomendação é que seja mostrado ao responsável que se trata da vacina contra a Covid-19, com frasco na cor laranja, específica para crianças entre 5 a 11 anos. A seringa a ser utilizada (1 ml) e o quantity a ser aplicado (0,2 ml) também devem ser apresentados antes da aplicação.

0

Dose menor

De acordo com a Pfizer, a quantidade aplicada foi cuidadosamente selecionada com base em dados de segurança e imunogenicidade. Os estudos clínicos indicaram menor possibilidade de reações adversas no uso de doses menores e respostas imunológicas eficientes porque as crianças, normalmente, têm resposta imune mais robusta.

O infectologista Leonardo Weissmann, consultor da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), explica que, no caso do imunizante da Pfizer, os ensaios clínicos direcionados ao grupo mostraram que a proteção desejável já technology alcançada com doses menores.

“Os testes demonstraram que uma dose menor do que a usada para pessoas com 12 anos ou mais technology a preferida, mantendo proteção, segurança e tolerabilidade”, afirma.

Segurança da vacina

Durante a pesquisa clínica da vacina da Pfizer/BioNTech, os dados sobre a segurança do imunizante se mostraram favoráveis. De acordo com o órgão americano FDA, os estudos clínicos demonstraram eficácia de 90,7% na prevenção da Covid-19 em crianças de 5 a 11 anos.

“Nos Estados Unidos, onde mais de oito milhões de doses já foram aplicadas em crianças, foram cerca de cinco mil relatos de eventos adversos, sendo que 97% deles eram leves e apenas 5% das crianças deixaram de ir para a escola por se sentirem mal depois da vacina”, diz Ballalai.



Supply hyperlink

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here