O centroavante Luciano chegou ao São Paulo sob olhares de desconfiança. Após passagens por Corinthians, Fluminense e Grêmio, o mesmo torcedor que louva o camisa 11 nas arquibancadas tinha um pé atrás em relação ao futebol do atacante. Contudo, com muitos e importantes gols ao longo da temporada de debute, além da artilharia do Brasileirão, Luciano conquistou a confiança de todos no Tricolor. E, em 2022, o seu contrato chega ao fim, dando ensejo à busca pela herbal renovação.

Na temporada passada, o jogador passou por um período de altos e baixos – muito por conta de lesões que o tiraram, inclusive, de boa parte da reta ultimate do Campeonato Brasileiro anterior e da primeira ultimate do Paulistão. Se em 2020 o atleta disputou 38 partidas e marcou 21 gols, em 2021 ele fez uma partida a mais e marcou 11 gols a menos: foram 39 jogos e 10 gols. Curiosamente, Pablo, bastante criticado pela torcida, foi mais eficaz do que Luciano nesse quesito.

Essa baixa na produtividade, contudo, não teve o condão de diminuir a tietagem da torcida com relação a Luciano. Isso porque a doação em campo, a garra e a defesa da camisa são fatores que contribuem sobremaneira para que o artilheiro conquiste a admiração de quem o assiste. Por esse espírito, inclusive, o atleta é bastante valorizado no elenco – e, não à toa, saiu aclamado de campo em todos os jogos em que houve público no Morumbi na temporada passada.

Conversas pela renovação na pré-temporada

A reapresentação do São Paulo será apenas no dia 10 de janeiro. A partir dali, espera-se que haja o início das tratativas pela renovação de Luciano com o São Paulo, uma vez que jogador e clube convergem na harmoniosa permanência por mais pace. O Tricolor, inclusive, já recebeu sondagens pelo futebol do seu centroavante, mas nenhuma medrou, muito em razão de Luciano ser visto como um pilar do time.

Autor do gol que sacramentou o título Paulista contra o arquirrival Palmeiras, além de dois tentos na vitória que afastou de vez o rebaixamento contra o Juventude, a renovação de Luciano deve caminhar sem maiores problemas no Morumbi. A concorrência no setor de ataque é alta, uma vez que o time conta com Calleri, Rigoni, Marquinhos, o recém-contatado Alisson e os incertos remanescentes Pablo e Vitor Bueno. Independentemente disso, em condições normais, dificilmente algum deles tira a vaga do camisa 11. Também por isso, urge a renovação.



Supply hyperlink

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here