O empréstimo com imóvel de garantia leva este nome justamente porque um imóvel é utilizado para garantir o parcelamento. Dessa forma, o cliente informa à instituição financeira que não corre nenhum risco de inadimplência e, portanto, pode tomar empréstimos a taxas de juros baixas.
Também conhecido como empréstimo com imóvel de garantia, o empréstimo com imóvel de garantia da credito real ainda é um tipo de crédito incomum no Brasil, mas tem crescido gradualmente e se tornado mais atraente em épocas de pandemia.
Você já conhece o empréstimo sim? Ou o empréstimo compulsório?

Conheça como é o empréstimo com garantia de imóvel

  • Ao contrário de um empréstimo garantido para automóveis, o ativo colateral não precisa ser quitado.
  • Podem ser usados ​​imóveis residenciais e comerciais.
  • As taxas de juros são mais baixas à medida que o consumidor deposita a propriedade como garantia.
  • Por outro lado, ao contrário do empréstimo com garantia automóvel, pode-se vender o imóvel com o imóvel.

Como fazer um empréstimo com imóvel de garantia

  1. Simule e compare as opções de empréstimo disponíveis;
  2. Após a seleção do empréstimo, a empresa conduzirá uma análise de receita para revisar suas condições financeiras e solvência;
  3. O imóvel também deve passar por uma avaliação física e jurídica;
  4. Então você tem que assinar os papéis e registrar todos os documentos no cartório;
  5. Após esta etapa, o crédito será liberado.

Cuidados

  • Cada propriedade só pode ser vendida em uma operação. Isso significa que só pode haver uma garantia para um empréstimo de cada vez.
  • O valor do empréstimo não deve ultrapassar 60% do valor do imóvel. E é uma empresa terceirizada que faz a avaliação. Agora você sabe que existe mais uma opção de empréstimo.

Que tal se você souber quais ofertas estão disponíveis para você no nosso site?

Na Credihome, fintech especializada em negócios imobiliários, as buscas por esse tipo de crédito aumentaram mais de 1.400% no primeiro semestre deste ano em relação ao período de janeiro a junho de 2020. As concessões foram 200% maiores.

Entre as instituições tradicionais, por exemplo, de janeiro a junho de 2021, o Santander viu sua carteira de empréstimo com imóvel de garantia crescer 32%, com R $ 2,7 bilhões concedidos, o que representou 25% do market share.

Geralmente existe um valor mínimo entre R $ 30 e R $ 50.000 para viabilizar a operação. O limite máximo chega a milhões de reais.
No entanto, mesmo com taxas de juros mais baixas, muitas pessoas têm medo de optar pela alternativa por medo de perder o imóvel.

Temos um desafio para este mercado por falta de conhecimento e por um fator cultural. Ainda temos um longo caminho a percorrer, mas há demanda, afirma a presidente da Abecip, Cristiane Portella, durante entrevista coletiva com jornalistas.

Como funciona o empréstimo com imóvel de garantia?

O empréstimo com imóvel de garantia tem um período de aprovação mais longo do que outros empréstimos, como empréstimos salariais e empréstimos pessoais, pois envolve uma revisão do ativo que é usado como garantia, uma transferência do registro do notário. O contrato tem que ir para o notário. para garantir que o registro de propriedade seja vendido. É um empréstimo que demora a chegar ao cliente; dependendo do instituto, leva algumas semanas. Estamos tentando fazer isso mais rápido porque o tempo é importante.

Concluído o processo, o imóvel é temporariamente transferido para o credor (Banco ou fintech que fez o empréstimo) até que a dívida seja quitada. Isso é conhecido como alienação fiduciária. Durante a vigência do empréstimo, o proprietário pode continuar a desfrutar de sua casa e até mesmo vendê-la, desde que o dinheiro seja usado para pagar a dívida seja demorado e caro. É até um leilão da propriedade. A instituição financeira utiliza o valor arrecadado no leilão para quitar a dívida. Se o leilão tiver um valor superior ao valor devido, essa alteração deve ser direcionada ao cliente inadimplente que perdeu a propriedade.

As mesmas pessoas que tiram hipotecas temem o valor da casa própria. Se o cliente não pagar em dia, há interesse em discussão e renegociação. A retomada é um processo caro e com o qual ninguém se importa, acrescenta Gama. Ele afirma ainda que o ciclo pode durar até um ano.

No ano passado, a Medida Provisória 992 permitiu que um imóvel financiado fosse usado como garantia para o empréstimo com imóvel de garantia, desde que parte do valor fosse pago e o empréstimo fosse disponibilizado pelo mesmo banco que disponibilizou o empréstimo para a compra. Por exemplo, alguns bancos, como o Itaú, chegaram a oferecer linhas de crédito com taxa de juros de 0,56% ao mês nessas condições.

No entanto, o MP expirou e agora não é possível realizar essas operações. Somente aqueles que pagaram integralmente sua propriedade residencial ou comercial podem solicitar o empréstimo.

Para a Gama, a questão regulatória pode ajudar o Brasil a desvendar o real potencial do empréstimo com imóvel de garantia, uma espécie de crédito de longo prazo mais saudável para quem precisa de dinheiro, principalmente se comparado a outras linhas. Ele diz que já está disseminado em mercados como Estados Unidos e Europa.

Antes de tomar o empréstimo, vale pesquisar e entender os termos de cada instituição. Além das taxas, é interessante consultar o valor das taxas e o período de carência, que é o prazo para o início do parcelamento. Em alguns casos, pode demorar até três meses.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here