Contabilizar emprestimo bancario Esta é uma tarefa simples em comparação com outros tipos de transações financeiras, mas há detalhes que devem ser considerados para uma contabilidade adequada, especialmente em relação à forma de reembolso do principal e ao uso dos juros. Neste artigo examinaremos esses detalhes, destacando os dois métodos de liquidação de juros mais comumente praticados no mercado, levando em consideração o princípio da prudência ou conservadorismo, e o cálculo dos juros acumulados. Teremos exemplos práticos e análises para atender às necessidades do negócio Como determinar corretamente os valores: o valor das parcelas, o valor liberado, a forma de cálculo dos juros, que podem ser expressos de diferentes formas: por dias úteis, dias corridos, taxa por ano 360, 365 dias corridos; tudo isso precisa ser totalmente compreendido antes de começarmos a calcular os valores faturáveis. Como já mencionamos em outro artigo, observamos no mercado 7 formas de cálculo que são utilizadas em 99% das operações de crédito dos bancos brasileiros, que geram taxas diferentes e, consequentemente, valores contábeis diferentes. Depois de dominar esses 7 métodos de cálculo de banco, muito do trabalho está feito. Além dos problemas de calendário: dias úteis, dias de calendário, ano de calendário, etc; que são fáceis de reconhecer nos contratos, lidaremos com 3 pontos importantes ao calcular os saldos e valores das parcelas como segue antes de registrá-los corretamente: Veja aqui se Emprestimo sim é confiavel.

1º – Contabilizar emprestimo bancario Formas de amortização

Abaixo temos duas operações idênticas de Contabilizar emprestimo bancario:

Valor: R $ 120.000,00

Quantidade de parcelas: 6

Taxa de juros: 1,00% ao mês (neste exemplo de acordo com dias corridos calculado)

Data do crédito e vencimento das mesmas parcelas.

Juros sobre o saldo devedor.
A única diferença entre as operações é que o sistema de amortização de uma operação é o preço, a outra é o SAC – Contabilizar emprestimo bancario com Sistema de Amortização Constante.

Observe que Contabilizar emprestimo bancario com os montantes amortizados, os juros das prestações, bem como os juros e saldos de reembolso são completamente diferentes, o que, consequentemente, cria entradas de reserva diferentes. Veja mais em nosso site.

2º – Contabilizar emprestimo bancario Incidência dos juros

Esse é um dos detalhes que mencionamos no início do artigo. Existem duas formas de calcular os juros de uma operação de crédito:

– Sobre o saldo devedor (mais utilizado pelo mercado)

– Sobre o valor principal (menos utilizado, normalmente conhecido como SAC)) invertido)

A seguir estão dois protocolos de cálculo de operação que também são idênticos em tudo, exceto na forma de interesse:

Note que com a operação com juros sobre o saldo devedor, os juros são sempre zerados (debitados) quando uma parcela é paga, enquanto na operação com juros sobre o valor amortizado, sempre temos um saldo de juros que se refere ao parcelamento, morrer devido.
Resumindo: são detalhes que você tem que entender perfeitamente para ter valores exatos.

3º – Princípio da Prudência ou Conservadorismo

O princípio contábil da prudência ou do conservadorismo é sempre minimizar os recebíveis (ativos) e aumentar os passivos (passivos), sempre dentro de uma lógica clara e por valores conhecidos, de forma que só possam ser aplicados em operações de crédito pré-determinadas como os valores de Juros Já são conhecidos.

A aplicação deste princípio na contabilização de operações de crédito não é a prática mais comum, mas ocorre em algumas empresas devido à interpretação do contador.
No exemplo abaixo temos o saldo devedor da operação de crédito em 17/07/2018 no valor de R $ 80.000, pois todos os juros vencidos até esta data já foram pagos junto com o parcelamento. Aplicando o princípio da prudência, no entanto, podemos ter a seguinte interpretação: Ainda faltam 4 parcelas no valor de R $ 82.053,60, portanto, levamos em consideração esses juros com cautela.

Um problema com este tipo de cobrança é que se o contrato for liquidado antecipadamente, temos que cancelar este valor previamente reservado.

Contabilizar emprestimo bancario de crédito pré-fixado

Agora que examinamos a necessidade de calcularmos os valores exatamente de acordo com o contrato firmado, vamos dar um exemplo do cálculo dos lançamentos contábeis.

A – Plano de contas:

Vamos assumir um plano de contas simples como este:

B- Operação de Crédito

Nosso exemplo é a liquidação de uma nota de crédito à exportação. Adotamos essa modalidade de operação de crédito por uma questão de simplicidade, pois não há incidência de IOF.

Operação iniciada em 17/01/2018 e parcelada em 17/04/2018 da seguinte forma:

E lembrem que fazemos pagamentos a cada 90 dias para que a operação demore mais de 1 ano e possamos ter liquidações de curto e longo prazo.

No início deste artigo colocamos grande ênfase nos cálculos e na forma de amortização prevista e incidência de juros de pagamento; para que possamos começar com os saldos devedores e valores das parcelas corretos, a partir daí trabalhamos com os saldos devedores das operações.

Notas:

– Nós o faremos. não adote o princípio da cautela.

– O sistema de cálculo das reservas será sempre: Aumenta o saldo devedor no início e no final do período analisado (na prática 1 mês) para que possamos calcular as reservas.
<br > 1. Mês: Liquidação em janeiro de 2018.

Em 31 de dezembro de 2017 todos os saldos estavam zerados porque a operação ainda não havia sido iniciada.

O saldo devedor em 31 de dezembro de 2018 segue:

Na figura acima, abrimos o saldo devedor em P (valor principal), J (juros) e C (correção, que neste caso é zero porque a operação é pré-determinada). Abra curto e longo prazo.

Cálculo das reservas.

– Principalmente de curto prazo:

No período de 31.01.2018 a 01.01.2018 31/2019 serão devidas 4 parcelas, com capital de R $ 20.000 cada, que perfazem um total de R $ 80.000,00 no curto prazo.

Montante de capital de curto prazo = 4 x R $ 20.000 = R $ 80.000,00

– Capital de longo prazo:

Após 01/01/2020, uma parcela com capital de Vencerá R $ 20.000, o que equivale a R $ 20.000 no longo prazo.

Capital de longo prazo = 1 x R $ 20.000 = 20.000 R $

– Juros acumulados:

No período entre 17 de janeiro de 2018 e 31 de janeiro, 2018, os juros provisionados no período são de R $ 465,43

Juros provisionados = R $ 465,43 – R $ 0,00 = R $ 465,43

Os lançamentos com as respectivas contas contábeis seguem o plano de contas :

Saldo pendente no final do mês:

Cálculo de lançamentos contábeis.

Teremos apenas os juros acumulados calculados:

Juros acumulados = R $ 1.402,79 – R $ 465,43 = R $ 937,36
Segue o lançamento com a conta do Razão de acordo com o plano de contas:

3º mês: Liquidação em março de 2018.

Status da meta no final do mês anterior:

Cálculo de lançamentos contábeis.

Teremos apenas os juros acumulados calculados:

Juros acumulados = R $ 2.450,80 – R $ 1.402,79 = R $ 1.048,01
Segue o lançamento com a conta do Razão de acordo com o plano de contas:

4º mês: Faturamento em abril de 2018.

Status da meta no final do mês anterior:

Saldo pendente no final do mês:

Este mês vai ser o mais interessante porque temos um parcelamento e também com o tempo parte do capital vai ser transferido do longo para o curto prazo.

A parcela paga segue:

Cálculo dos lançamentos contábeis.

Amortização do capital = R $ 200,00 (da tela AMORTIZAÇÃO REALIZADA acima)

Lançamento de transferência de LP para CP = R $ 200,00 – R $ 0,00 = R $ 20.000. 00 (dos saldos devedores)

Juros pagos = R $ 3.030,10 (na tela TAXAS acima)

Juros acumulados = R $ 345,69 – R $ 2.450,80 + R $ 3.030,10 = R $ 924,99 (diferença entre os juros sobre o saldo devedor e os juros pagos).

O lançamento na conta do Razão segue o plano de contas:

Acima mostramos como são calculados os valores dos lançamentos contábeis, tópicos como a nomenclatura das contas a serem debitadas / creditadas são tópicos que variam muito de contador para contador e o respectivo plano de contas.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here