Se você precisa de um empréstimo e não sabe o que é uma hipoteca continue conosco até o final deste post que iremos exclarecer o que é hipoteca, para que ela serve e como ela funciona.Com os muitos problemas financeiros que os brasileiros estão a atravessar, muitos estão à procura de formas arriscadas de angariar dinheiro.

Quer contraia empréstimos junto de agiotas ou de empresas que cobram taxas de juro elevadas, deve pedir emprestado de forma ponderada, responsável e com o mínimo risco de perder ainda mais dinheiro. Uma das formas mais seguras é refinanciar o seu imóvel, o que envolve a hipoteca do imóvel.

Se tiver uma propriedade em seu nome e precisar de um empréstimo financeiro, esta pode ser a sua oportunidade de recuperar o seu dinheiro. Uma hipoteca é uma forma de empréstimo que oferece a sua propriedade como garantia para pagar se já estiver paga.

Esta prática pode ser uma grande solução para aqueles que precisam de remodelar uma casa, pagar dívidas ou investir num novo negócio. No entanto, é necessário conhecer as instituições que oferecem este tipo de serviço, pesquisar as taxas de juro cobradas e ler cuidadosamente os contratos.

É importante saber que uma hipoteca é diferente de um empréstimo garantido. No caso de uma garantia, o imóvel é vendido, mas o nome do credor permanece ligado ao imóvel até que a dívida seja reembolsada. Isto faz com que a CGI ofereça tarifas e condições mais atrativas.

O que é uma hipoteca imobiliária?

A hipoteca, que é muito popular nos Estados Unidos, continua a ser um alvo de dúvida no Brasil. Na prática, pode ser descrita como uma linha de crédito que oferece uma propriedade como garantia para obter um empréstimo, geralmente a taxas de juro mais baixas do que outros tipos de empréstimos.

O contrato é celebrado entre o requerente e a instituição financeira, que fornece o montante solicitado e detém o imóvel como garantia em caso de incumprimento. Esta garantia torna uma hipoteca sobre um imóvel mais atractiva e oferece mais vantagens do que os empréstimos convencionais.

Com a difusão do conhecimento através da Internet, o número de hipotecas no Brasil aumentou hoje em dia, facilitando a vida aos endividados e oferecendo empréstimos com maior facilidade de reembolso.

Embora esta operação exija cautela, pode ser muito mais segura e calma para o potencial mutuário. Isto porque a propriedade permanece em nome do proprietário, tornando mais difícil para a instituição assumir a propriedade e facilitando as modalidades de pagamento.

Isto não deve, de forma alguma, encorajar os incumprimentos. É importante notar que embora o imóvel permaneça em nome do requerente, o contrato permite que o credor assuma o imóvel em caso de incumprimento. A hipoteca é mesmo registada no Registo Predial para proporcionar uma modalidade pública para processos judiciais.

Mesmo que o bem hipotecado seja o único bem da família, o credor tem o direito de reclamar o bem para satisfazer a dívida.

No caso de uma hipoteca, não é necessário que o proprietário abandone a propriedade. Após refinanciar o imóvel, o direito de ocupação é garantido, o que significa que poderá continuar a viver na sua casa, apenas em troca do empréstimo terá um novo plano de pagamento.

Como funciona a hipoteca? Conheça um pouco mais sobre a seguir:

Para o ajudar a compreender, vamos agora explicar como funciona uma hipoteca de casa. Isto ocorre quando um proprietário necessita de um empréstimo ou crédito financeiro para pagar dívidas, expandir um negócio ou investir num novo negócio.

O requerente procura então uma instituição financeira de confiança para inquirir sobre a dinâmica de uma hipoteca sobre a casa. Devem fornecer voluntariamente a sua casa como garantia para o empréstimo, o que significa que, em caso de incumprimento, o mutuante pode assumir o imóvel e revendê-lo para cobrir estes custos.

Dado que a garantia sobre o imóvel é muito maior do que nos casos de financiamento em que apenas é exigida prova de rendimento, as taxas hipotecárias aplicadas são mais baixas, facilitando a reorganização da vida financeira e encorajando a abertura de novos negócios.

É importante notar que o direito de utilização do imóvel permanece com o proprietário, o que significa que não é necessário desistir do imóvel no momento da hipoteca. Basta que os pagamentos sejam feitos a tempo, e os seus bens permanecerão intactos e seguros.

Um imóvel hipotecado é um imóvel que foi oferecido como garantia para reembolsar um empréstimo ou refinanciar. Embora se trate de um encerramento do contrato, o mutuário ainda pode negociá-lo se o novo comprador suportar o ónus da compra.

Assim, se decidir vender o seu imóvel hipotecado, é da sua responsabilidade incluir a hipoteca no contrato para que o novo proprietário deva os pagamentos à instituição bancária.

Um bem hipotecado também pode ser dotado, cedido ou fazer parte de uma herança, mas é importante lembrar que a hipoteca é sempre transferida para o novo proprietário, sob o risco de o credor tomar posse do bem. É também possível ao proprietário contrair uma nova hipoteca sobre o mesmo imóvel, sendo feita uma distinção entre a primeira e a segunda hipoteca.

Quem faz hipoteca imobiliaria? 

As hipotecas para bens imóveis são fornecidas pelas principais instituições bancárias do Brasil. Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil e Bradesco estão entre as hipotecas mais procuradas para aqueles que desejam garantir um empréstimo.

Nos últimos anos, porém, várias instituições financeiras e de crédito começaram a oferecer este método, que contribui para baixar as taxas, aumenta a concorrência e favorece a melhor opção para os proprietários.

Cada uma destas instituições tem as suas próprias regras, critérios e taxas. Por conseguinte, é importante informar-se sobre o funcionamento de uma hipoteca imobiliária e o que é o contrato entre as partes.

Deve lembrar-se que o proprietário não deve, em caso algum, confiar em mutuantes privados ou agiotas. Para além do facto de o valor da sua dívida poder aumentar exponencialmente e de forma abusiva, continua a correr um sério risco de perder a sua propriedade, mesmo que tenha apenas alguns dias de atraso nos seus pagamentos.

No entanto, quando o reembolso é feito através de empresas especializadas, é habitual esperar três a quatro prestações em atraso antes de tomar medidas legais. No entanto, é importante dizer que a legislação permite que isto aconteça mesmo após um pagamento não ter sido efectuado no prazo de trinta dias.

 

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here