Taxa de hipoteca seria sua ação de cortar o saldo primário da casa mais rápido em comparação com o programa de vencimento convencional de hipotecas pode oferecer. Isso é capaz de permitir que você pague seus empréstimos mais rapidamente do que o previsto, algumas vezes reduzindo um empréstimo de financiamento imobiliário de 30 anos para 5 a 7 décadas!

Saiba o que é uma hipoteca?

É um tipo de empréstimo que consiste em fornecer um imóvel como garantia para obter acesso a taxas de juro mais baixas e prazos mais longos.

Criada nos Estados Unidos e ainda muito prevalecente na cultura americana, esta linha de crédito não é utilizada no Brasil devido à burocracia que lhe está associada. Portanto, em vez de uma hipoteca, as instituições brasileiras oferecem um empréstimo com bens imóveis como garantia. Você já conhece o emprestio sim?

Embora semelhantes na garantia financeira que é a propriedade, os dois empréstimos têm muitas diferenças entre eles. Siga o conteúdo abaixo para compreender esta distinção e como funciona uma hipoteca residencial.

Como funciona uma hipoteca?

Como mencionado acima, uma hipoteca ocorre quando o proprietário de um imóvel ou veículo na maioria dos casos necessita de um empréstimo e fornece esse activo como garantia. Mas se eu retirar esta linha de crédito, posso continuar a utilizar o imóvel?

Sim. Quando um imóvel é hipotecado (ao abrigo das disposições da Lei 10406), o imóvel não é transferido para a instituição mutuante. Isto significa que sob esta forma, o indivíduo conserva o direito de usar e vender a propriedade a terceiros.

Diferença entre uma hipoteca e um empréstimo garantido para bens imóveis

Agora que sabe o que é uma hipoteca e como funciona, vamos compreender a diferença entre uma hipoteca e um empréstimo imobiliário garantido. Embora sejam considerados sinónimos, funcionam de forma diferente.

Uma hipoteca, que utiliza a propriedade como garantia, é vista como um tipo de empréstimo com taxas de juro mais baixas e um prazo mais longo. No entanto, envolve um processo muito burocrático que leva os consumidores e as instituições a recusarem-se a oferecer e a celebrarem contratos.

No caso de um empréstimo imobiliário garantido, trata-se de um foreclosure in trust. Por outras palavras, o cliente transfere a propriedade da propriedade fiduciária até ao final do contrato. O imóvel está, portanto, registado em nome do banco, mas o cliente continua a utilizá-lo.

Se houver um incumprimento no empréstimo garantido pelo imóvel, o mutuante pode vender o imóvel em leilão público. No entanto, é preciso lembrar que esta não é a opção mais vantajosa para os bancos, uma vez que envolve muita burocracia e custos.

Outra situação que pode surgir é a falência do devedor. No caso de um empréstimo garantido por bens imóveis, pode-se proceder à execução da hipoteca do imóvel sem competir com outros credores. Com uma hipoteca, o imóvel é apreendido, o que se torna mais um obstáculo para que a instituição financeira recupere o empréstimo.

Assim, um empréstimo com bens imóveis como garantia provou ser mais adequado para fins bancários do que uma hipoteca. Além disso, é uma alternativa mais barata para os clientes que precisam de um pouco de dinheiro extra no seu orçamento.

Depois de ler este texto, já sabe o que é uma hipoteca e quais são as diferenças entre ela e um empréstimo imobiliário garantido?

Diferenças entre um empréstimo garantido e uma hipoteca

Com uma hipoteca, o proprietário detém o imóvel em seu próprio nome, o que pode dificultar a obtenção do imóvel por parte de um tribunal em caso de não pagamento. Em execução hipotecária, o proprietário transfere a propriedade para o banco até que a dívida seja liquidada.

Este tipo de acção torna mais fácil para os bancos tomar o imóvel, aumentando a segurança para o reembolso. Um empréstimo garantido por bens imóveis tem, portanto, taxas de juro ainda mais baixas do que um empréstimo hipotecário.

As hipotecas nos EUA funcionam de forma diferente. Em vez de ser uma garantia para um empréstimo, como acontece no Brasil, funciona como um financiamento imobiliário.

Neste caso, a pessoa compra uma casa através de uma hipoteca, e a garantia é a própria propriedade. Além disso, o credor detém o título do imóvel. No caso de dívida, como no Brasil, a instituição financeira tem o direito de vender o imóvel para pagar a dívida.

Diferenças entre o penhor e a hipoteca

Existe frequentemente confusão entre as duas formas de títulos de dívida. No entanto, cada um tem as suas próprias características.

Uma hipoteca é um direito de propriedade sobre bens imóveis que garante o pagamento de uma dívida. O bem dado em garantia permanece na posse do devedor. Alguns exemplos de bens imóveis são

  • Terra;
  • Casas
  • Plantações.

Um penhor é uma concessão de bens móveis para garantir uma dívida. Este tipo de artigo é aquele que pode ser movido e/ou exportado sem prejudicar o seu valor. Exemplos de bens móveis são

  • Veículos;
  • Objetos pessoais;
  • Mobiliário doméstico;
  • Animais.

A diferença entre estes está, portanto, na natureza do bem oferecido como garantia do empréstimo e na propriedade do bem.

Cada alternativa de financiamento deve, portanto, ser utilizada com muito cuidado. É aconselhável que antes de garantir um imóvel em pagamento da dívida, seja feito um planeamento de modo a que o empreiteiro compreenda se é possível satisfazer a dívida.

Além disso, familiarize-se com as condições de pagamento oferecidas pelo empréstimo hipotecário para evitar taxas de juro abusivas e descubra se são melhores do que o financiamento tradicional.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here